RÚSSIA            

Urso explorado em circo reage e ataca treinadora grávida durante espetáculo

           
Foto: Reprodução | Daily Mail

Um urso-pardo explorado por um circo em Oryol, na Rússia, reagiu ao estresse de ser obrigado a realizar um espetáculo e atacou uma de suas treinadoras, que está grávida. Ela sofreu apenas cortes superficiais e disse à imprensa local que o urso está com “ciúmes” por ela estar esperando um bebê.

Quando recebeu críticas por forçar o urso a realizar truques, ela disse que o curso é “muito carinhoso” com ela e que o público não “sabe o que acontece nos bastidores”. Para impedir os ataques, o animal foi agredido com chicotadas na frente da plateia.

O urso não apareceu em novos espetáculos. Testemunhas afirmam que antes mesmo dele realizar a performance que culminou com o ataque à treinadora, o animal estava agitado dentro de uma jaula e parecia extremamente “agitado” e “perturbado”.

A ativista em defesa dos direitos animais Irina Novozhilova, porta-voz do grupo Vita, afirma que: “Nenhuma condição de circo será humana por uma razão simples. O treinamento anda de mãos dadas com a crueldade. E circos com animais deveriam ser proibidos”.

Um passado de crueldade

A exploração de ursos para entretenimento, infelizmente, não é um fato recente. Na Idade Média, obrigar ursos a dançar era comum na Europa e na Ásia. Esses animais eram frequentemente retirados da natureza e expostos em zoos e circos itinerantes.

Geralmente, os ursos são separados de suas mães, que são mortas por tentar defender seus bebês, e depois são torturados e treinados para dançar e realizar truques. Durante o “treinamento”, esses animais têm seus dentes e garras removidos.

Também é comum que esses animais tenham um anel de metal perfurando suas narinas inserido e atado a uma corrente. Quando o urso não cumpria as ordens do adestrador, essa corrente era puxada para provocar dor no animal.

Foto: Reprodução | Daily Mail

Agressões com paus e chicotes também são comuns. Para ensiná-los a dançar, os ursos são colocados em uma chapa de metal quente enquanto uma música toca, para que eles associem o som com o movimento das patas e comecem a “dançar”.

Ativistas lutam para que a exploração de ursos para entretenimento seja proibida definitivamente, mas, infelizmente, em muitos lugares da Ásia e da Europa a prática ainda é permitida por lei.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo