ENCALHE            

Baleia é encontrada morta com marcas no corpo causadas por rede de pesca

Com mais de sete metros de comprimento, a baleia era um macho jovem e estava em estado avançado de decomposição            
Foto: Divulgação/Instituto Biopesca

Uma baleia-jubarte foi encontrada morta na praia do Ruínas, na cidade de Peruíbe, no litoral do estado de São Paulo. O corpo do animal encalhou na costa paulista na terça-feira (14) e, embora a causa da morte não tenha sido identificada, a suspeita é de que a baleia tenha se afogado ao ficar presa em redes de pesca.

Com mais de sete metros de comprimento, a baleia era um macho jovem e estava em estado avançado de decomposição. De acordo com o Instituto Biopesca, que atendeu a ocorrência de encalhe, marcas de emalhe por rede de pesca foram encontradas nas proximidades da cauda da jubarte.

Ainda encalhada na areia, a baleia teve amostras colhidas de seu corpo para posterior análise em laboratório. O objetivo é descobrir o que causou a morte, embora já se saiba que baleias nessa idade costumam morrer após separação precoce da mãe ou por ter sido capturado acidentalmente por redes de pesca.

Nesta época do ano, as jubartes migram para o Norte do Brasil para se reproduzirem em águas mais quentes. Por isso, é comum que o número de encalhes aumente nesse período. Neste ano, a aparição de 11 baleias encalhadas foi registrada pelo Instituto Biopesca, sendo dez da espécie jubarte.

O que fazer ao encontrar animais marinhos?

Especialistas reforçam que não se deve tentar resgatar, em hipótese alguma, animais marinhos vivos ou mortos encontrados em praias brasileiras. Nestes casos, o recomendado é isolar o local, manter cães e gatos longe do animal encalhado e acionar um serviço especializado.

Na região de Peruíbe, é possível acionar os serviços do Instituto Biopesca, que resgata mamíferos, tartarugas e aves marinhos debilitados ou mortos. Os telefones para contatos são: 0800 642 3341 (horário comercial) ou (13) 99601-2570 (WhatsApp e chamada a cobrar).

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo