PATRIMÔNIO MUNDIAL

Mudanças climáticas estão causando destruição das pinturas rupestres mais antiga do mundo

           
Foto: Divulgação

Uma pintura rupestre na ilha de Sulawesi da Indonésia, considerada a mais antiga do mundo, está decompondo-se rapidamente por conta da erosão salina provavelmente causada pelas mudanças climáticas, advertem arqueólogos.

A pintura de um grupo de teriantropos, ou humanos com características animais, aparentemente caçando animais, foi descoberta em uma caverna de calcário em 2017 e são de quase 44.000 anos atrás.

Especialistas estão agora correndo contra o tempo para descobrir maneiras de preservar a inestimável obra de arte pleistocênica.

“O impacto é muito severo e irá destruir as pinturas”, disse Basran Burhan, arqueólogo da Universidade Griffith na Austrália, disse à Reuters após inspecionar as pinturas em Maros.

Temperaturas mais elevadas e o aumento da severidade dos eventos El Nino contribuíram para o aceleramento da cristalização salina na caverna, efetivamente “esfoliando” a pintura, segundo um estudo publicado no mês passado no Scientific Reports por arqueólogos da Austrália e da Indonésia.

A seca prolongada, combinada com fortes chuvas das monções, criaram condições “altamente favoráveis” que intensificaram a cristalização salina, segundo o estudo.

“O pigmento que compõe a imagem na parede da caverna está descascando,” disse o arqueólogo Rustan Labe, mostrando imagens em seu laptop que indicam a escala da esfoliação entre outubro de 2018 e março de 2019. A documentação das imagens mostrou que 1,36898 centímetros quadrados descascaram dentro dos seis meses.

Labe, que trabalha no Centro de Conservação de Herança Cultural do Ministério de Educação e Cultura, disse que arqueólogos irão trabalhar em pequenos times para monitorar o crescimento dos cristais de sal e outros pequenos organismos na parede da caverna.

“Iremos prevenir e lidar com os fatores que podem ser ameaças, e tratar o assunto imediatamente”, disse Rustan.

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação

Você Viu?

ir para o topo