BIODIVERSIDADE            

COP15 começa na China e discute plano de preservação das terras e dos oceanos

As sessões da grande conferência sobre a biodiversidade do planeta serão online e debatem políticas para frear as mudanças climáticas causadas pela ação humana            
Na imagem, uma tartaruga marinha. COP15 discute a preservação dos oceanos e das terras para frear as mudanças climáticas originadas pela ação humana
COP15 discute a preservação dos oceanos e das terras para frear as mudanças climáticas originadas pela ação humana | Foto: Ilustração/Pixabay

A 15ª Conferência das Partes (COP) da Convenção sobre a Biodiversidade (CDB) das Nações Unidas começou nesta segunda-feira (11/10) na China e vai até 15 de outubro.

As sessões da grande conferência sobre a biodiversidade do planeta serão online e debatem políticas para frear as mudanças climáticas causadas pela ação humana.

Menos conhecida que a COP26, que acontece no final de outubro em Glasgow, na Escócia, esta conferência organizada pela ONU aborda questões cruciais como a luta contra a poluição e o cuidado com o meio ambiente.

A conferência acontecer em duas etapas: uma primeira sessão virtual de cinco dias em outubro e duas semanas de encontros presenciais entre 25 de abril e 8 de maio, em Kunming, China, após dois adiamentos. Na COP15, os países discutem detalhes novo documento com metas para a proteção dos ecossistemas para 2030.

Plano de trabalho

O plano que visa a conceder “status” de proteção a 30% das terras e oceanos até 2030, medida apoiada por uma ampla coalizão de países, além do objetivo de eliminar os resíduos plásticos.

O texto a ser discutido inclui 21 ações até 2030: a conservação efetiva de pelo menos 30% das terras emergidas e marítimas, e “a redução de pelo menos metade dos nutrientes (fertilizantes) liberados no meio ambiente, e de dois terços de pesticidas, no mínimo, bem como a eliminação de todos os resíduos de plástico”.

Trata-se também de reduzir os subsídios prejudiciais ao meio ambiente em “pelo menos US $ 500 bilhões por ano”.

No entanto, a China, país que sedia a COP15, ainda não se comprometeu com o plano.

Cerca de um milhão de espécies de animais e plantas estão ameaçadas de extinção, devido à invasão humana de seus habitats, superexploração, poluição, disseminação de espécies invasoras e mudanças climáticas.

A Convenção sobre a Biodiversidade (CDB) foi ratificada por 195 países e pela União Europeia, mas não pelos Estados Unidos, maior poluidor histórico do mundo. Suas partes se reúnem a cada dois anos.

Segundo a AFP, na sexta-feira (8/10), a China disse que “dá alta prioridade à proteção da biodiversidade e ao estabelecimento de uma rede de áreas protegidas e parques nacionais”.

Além disso, Pequim planeja apresentar uma “Declaração de Kunming” esta semana, que marcará as linhas de sua liderança ambiental.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo