MIGRAÇÃO            

Elefante-marinho raramente visto no Brasil é monitorado após aparecer em praia no RS

Nativo da região subantártica, o elefante-marinho raramente aparece no litoral do Brasil, onde alguns animais da espécie param para descansar enquanto se deslocam para o norte            
Foto: Divulgação/CRAM

Um elefante-marinho raramente encontrado na costa brasileira apareceu em uma praia no Rio Grande do Sul e, desde então, passou a ser monitorado por especialistas. Da espécie “Mirounga leonina”, o animal é de grande porte e mede cerca de quatro metros de comprimento.

O monitoramento do elefante-marinho está sendo realizado por uma equipe do Centro de Recuperação de Animais Marinhos da Universidade Federal do Rio Grande (CRAM/Furg). De acordo com os especialistas, o animal pesa aproximadamente 900kg – quase uma tonelada.

Ele foi encontrado nesta semana na Praia do Mar Grosso, situada no município gaúcho de São José do Norte, no litoral do estado. Após ser localizado, o animal foi observado por profissionais do CRAM que concluíram que o estado de saúde dele é satisfatório.

Coordenadora do Centro de Recuperação de Animais Marinhos da FURG, Paula Canabarro informou ao G1 que não é comum que elefantes-marinhos, espécie nativa da região subantártica, sejam encontrados no litoral brasileiro. No entanto, é possível que, em casos específicos, esses animais façam paradas para descansar no Brasil após iniciarem a migração, deslocando-se para o norte.

Foto: Divulgação/CRAM

No caso do elefante-marinho encontrado no Rio Grande do Sul, a coordenadora informou que o monitoramento tem sido realizado através de uma marcação feita no animal com um carimbo. Após retomar seu trajeto, deslocando-se pelo oceano, o elefante-marinho continuará sendo acompanhado pela equipe por meio da marcação.

De acordo com Canabarro, o animal marinho está ativo e apresenta boas condições físicas. Além disso, não possui ferimentos pelo corpo. Segundo a pesquisadora, é importante que ele não seja alimentado ou perturbado por banhistas que eventualmente forem à praia.

Por ser um animal de porte grande, a aproximação de curiosos pode levar a conflitos entre o elefante-marinho e os humanos. Ser rodeado de pessoas também pode estressar o animal.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo