Imagens mostram comerciantes cortando cães mortos e pessoas comemorando o Festival de Yulin

           
Divulgação

Yulin fica situada na província de Guangxi, no Sul da China. É uma localidade predominantemente rural que ficou mundialmente conhecida por anualmente condenar mais de 10 mil cachorros à morte para consumo humano em um festival que dura 10 anos desde 2009. Imagens virais mostram cães e gatos apertados em gaiolas sendo mantidos em condições precárias e sendo mortos de maneiras terríveis.

Esse ano, apensar da pandemia de Covid-19, o Festival de Yulin teve início no último domingo (21). Sete ativistas em defesa dos direitos animais, liderados por Du Yufeng, realizaram uma manifestação pacífica no domingo e registram imagens dolorosamente tristes. Inúmeras pilhas de cães mortos e assados eram fatiados em balcões enquanto pessoas comem e sorriem alegremente.

Divulgação

Um dos ativistas se disfarçou de cliente e fez perguntas a comerciantes de carne de cachorro do mercado de Dongkou. A maior parte dos vendedores não estava comercializando cães vivos. Muitos mataram os animais em casa e levaram apenas os cadáveres para serem assados. Polícias acompanharam o festival, mas em nenhum momento tentou impedir o consumo ou aglomerações.

Du Yufeng é uma velha conhecida dos comerciantes e proprietários de fazendas de cães. Para facilitar a investigação, a ativista levou apenas rostos não conhecidos, mas muitos comerciantes notaram que os ativistas tiravam fotos, registravam vídeos e faziam perguntas e começaram a intimidá-los. Não havia normas de higienização ou sinalização para o uso de máscaras.

Divulgação

Du e os outros ativistas visitaram a Administração Pública de Queixas e Propostas da província de Guangxi e entregaram uma petição para exigir que as autoridades proíbam definitivamente a realização do festival. ““A epidemia é muito grave e as pessoas aqui ainda estão se reunindo para comer carne de cachorro. Por que eles ainda estão fazendo isso?”, questiona a ativista.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo