EnglishEspañolPortuguês

PRECONCEITO

Animais idosos precisam de cuidados redobrados e demoram mais tempo para serem adotados

5 de outubro de 2022
2 min. de leitura
A-
A+
Ouça esta matéria:
Foto: Ilustração | Pixabay

Outubro é lembrado como o mês dos animais, em alusão ao Dia de São Francisco, celebrado ontem, dia 04. Para muitos, tutelar um animal é um compromisso para a vida toda. Quando eles envelhecem, os cuidados aumentam. Porém, ainda há muitos animais idosos que esperam por um novo lar nos abrigos de adoção em Sorocaba e Votorantim (SP).

Uma cadela que vive há cinco anos com uma empresária em Sorocaba é deficiente visual e foi adotada de uma ONG. Os pelos grisalhos denunciam que a cachorrinha já é idosa.

“Apesar da deficiência, ela é muito companheira, ama uma praia, adora viajar com a gente”, conta a tutora.

Para identificar a idade aproximada dos cães, os veterinários examinam os dentes. Nessa fase, os animais precisam de cuidados importantes para detectar doenças e aumentar a expectativa de vida deles. A recomendação é fazer um check-up a cada seis meses.

“É preciso ter uma alimentação balanceada, isso é outro fator que também é importante. O acompanhamento veterinário vai ajustar a dieta do seu animal de acordo com a idade dele”, explica a veterinária Larissa Carretero.

Ela diz também que o exercício físico diário é muito importante, pois geralmente os animais idosos vão ficando mais preguiçosos e é preciso estimulá-los a fazerem atividades.

De acordo com a Prefeitura de Sorocaba, até o dia 19 de setembro deste ano, 209 animais foram adotados na cidade, sendo 127 diretamente na Unidade de Proteção e Bem-Estar Animal e 82 nas feiras de adoção. Destes, 87 eram adultos e 122 eram filhotes.

Em Votorantim, um pitbull chamado Thor vive no canil do Centro de Controle da Zoonoses. Já idoso, o cão espera por um novo tutor há um ano.

Além do Thor, atualmente a Zoonoses de Votorantim abriga 33 animais, entre gatos e cachorros. Mais da metade deles tem idade superior a cinco anos. O órgão tem dificuldade em colocá-los para adoção, já que os futuros tutores preferem adotar filhotes.

No entanto, a veterinária da Zoonoses diz que idade e raça não devem ser requisitos na hora de adotar um animal.

“As pessoas acreditam que os animais têm vícios, mas, na verdade, não é isso. Nós mesmos que somos culpados pelos animais desenvolverem manias. Qualquer animalzinho, mesmo filhote, pode destruir um para-choque, por exemplo, se a gente não der uma distração”, explica.

Para cuidar dos animais mais experientes, a prefeitura oferece atendimento gratuito para aqueles cujo tutor é cadastrado no CadÚnico, do Governo Federal, e que possuam o número de Identificação Social (NIS), bem como o comprovante de registro no CadÚnico atualizado até três meses antes.

A UBS Animal atende às quartas-feiras, das 8h às 12h, com agendamento pelo telefone (15) 3247-2306 e pelo e-mail [email protected]

Fonte: G1

    Você viu?

    Ir para o topo