DIREITOS ANIMAIS            

Lei que proíbe morte induzida de cães e gatos em situação de rua é sancionada

Pela nova lei, a morte induzida só será autorizada para animais com doenças graves ou enfermidades infectocontagiosas incuráveis, que coloquem em risco a saúde humana e de outros animais            
Lei proíbe eutanásia de cães e gatos saudáveis em situação de rua
Lei proíbe morte induzida de cães e gatos saudáveis em situação de rua – Foto: Fábio Pozzebom/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sancionou na quarta-feira (20/10) a lei que estabelece a proibição da morte induzida de cães e gatos saudáveis pelos órgãos de controle de zoonoses, canis públicos e outros estabelecimentos similares.

A sanção foi publicada no Diário Oficial da União de quinta-feira (21/10). O texto foi aprovado no final de setembro pelo Congresso Nacional e é de autoria dos deputados federais Ricardo Izar (PP-SP) e Celio Studart (PV-CE).

Pela nova lei, a morte induzida só será autorizada para animais com doenças graves ou enfermidades infectocontagiosas incuráveis, que coloquem em risco a saúde humana e de outros animais.

Neste caso, o procedimento deve estar devidamente justificado por laudo veterinário prévio.

“A ideia central do projeto é a proteção animal e o incentivo à adoção, retirando de cena o abatimento desmotivado e desarrazoado de animais sem doença infectocontagiosa incurável”, informou a Secretaria-Geral da Presidência da República, em comunicado.

A emenda não inclui trechos que tratam de meios de controle de natalidade já previstos na Lei 13.426/17.

Emendas excluídas pela Câmara

Foi retirada do texto a emenda que trata da possibilidade de realização de convênios com organizações não governamentais para incentivar a adoção de animais.

O trecho que previa que a castração deveria ser feita exclusivamente por médico veterinário também foi excluído.

De acordo com o portal R7, a Câmara retirou ainda a emenda que propunha incluir as aves na proibição de morte induzida.

A Secretaria-Geral da Presidência da República não informou se Bolsonaro fez vetos ao texto aprovado pelos parlamentares.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo