DESTRUIÇÃO

Desmatamento na Amazônia cresce 51% em comparação com anos anteriores

Em 11 meses a devastação chegou a 8.381 km², segundo dados do Imazon            
Pixabay

Em 11 meses, entre agosto de 2020 e junho de 2021, o desmatamento na Amazônia chegou a 8.381 km², segundo os dados divulgados na última segunda-feira (19), pelo Imazon (Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia). Esse número cresceu 51% em comparação com os 5.533 km², registrados entre agosto de 2019 e junho de 2020.

O instituto desenvolveu o SAD (Sistema de Alerta de Desmatamento), mais uma forma de monitorar a floresta através de satélites. Com isso, apontam que haverá alta no calendário de desmatamento da Amazônia em julho deste ano, segundo o UOL.

“As áreas desmatadas em março, abril e maio foram as maiores dos últimos 10 anos para cada mês. E, se analisarmos apenas o acumulado em 2021, também é o pior da última década”, afirmou o pesquisador do Imazon Antônio Fonseca, para o portal UOL.

O Pará está na liderança desde 2006, no ranking dos estados mais atingidos. Seus municípios Altamira, São Félix do Xingu, Novo Progresso e Itaituba são responsáveis por 174 km² de área devastada em junho, cerca de 52% do índice registrado no estado.

O Amazonas está em segundo e o avanço segue em direção ao sul, onde estão os municípios Lábrea, Apuí, Boca do Acre e Novo Aripuanã, que somam 143 km² de devastação. Os estados que completam a lista são: Mato Grosso (14%), Rondônia (11%), Acre (9%), Maranhão (3%) e Roraima (2%).

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação

Você Viu?

ir para o topo