GRATIDÃO            

Pit bull resgatado após maus-tratos dá a pata para agradecer voluntários que o salvaram

“Após receber carinho antes de fazer o curativo, Sansão virou a cara e nos deu a patinha por várias vezes, como se tivesse com vergonha de nos olhar, mas estivesse tentando agradecer de alguma forma”, afirmou um representante da ONG que resgatou o cão            
Foto: ONG Viva Bicho

Um cachorro da raça pit bull deu uma verdadeira prova do quão sensível um animal pode ser ao agradecer os voluntários que salvaram sua vida. Esticando a pata diversas vezes e escondendo o focinho num ato de submissão, como quem demonstra timidez, o cão agradeceu aos protetores de animais que lhe tiraram da rua em São Vicente, no litoral do estado de São Paulo.

Resgatado há uma semana por uma equipe da ONG Viva Bicho, o cachorro estava vagando pelas ruas com um ferimento grave nas costas. Suportando dor extrema, ele sofria com seu corpo sendo devorado por larvas presentes na ferida.

Assustado e com medo, o cachorro não aceitava a aproximação das pessoas – provavelmente por ter ficado traumatizado após ser maltratado e também por reagir à dor que sentia. Foi só com a chegada dos voluntários da ONG, que têm experiência no resgate de animais, que foi possível salvá-lo.

Para conquistar a confiança do cão, a equipe usou petiscos. Logo, o pit bull se aproximou para se alimentar e permitiu ser resgatado. Imediatamente após o resgate, ele foi encaminhado para uma clínica veterinária.

Batizado de Sansão, o cachorro recebeu o mesmo nome do pit bull que teve as patas decepadas em Minas Gerais. O caso repercutiu nacionalmente e deu força a um projeto de lei que aumentava a pena para maus-tratos contra cães e gatos. Meses depois, a proposta foi sancionada e se tornou lei.

Assim como o pit bull mineiro, o Sansão do litoral paulista é um animal dócil e carinhoso, mas sua verdadeira personalidade estava escondida em uma espécie de armadura criada pelo cão para se defender dos humanos. Dias após ser salvo, o cachorro não lembra em nada aquele cão que repelia a aproximação das pessoas.

Foto: ONG Viva Bicho

Na clínica veterinária, ele passou por uma raspagem para identificar o motivo da queda excessiva de pelo que sofria. As larvas também foram retiradas e Sansão foi medicado. Diagnosticado com sarna demodécica – não contagiosa, porém crônica -, ele iniciou tratamento e está se recuperando.

A recuperação, porém, não é só física, mas também emocional e psicológica. Enquanto recebe amor e cuidados, ele retribui com ainda mais afeto. E para demonstrar o amor e a gratidão que sente, estende a patinha para os voluntários que salvaram sua vida.

“Após receber carinho antes de fazer o curativo, Sansão virou a cara e nos deu a patinha por várias vezes, como se tivesse com vergonha de nos olhar, mas estivesse tentando agradecer de alguma forma”, afirmou um representante da ONG que agora levanta fundos para arcar com os custos do tratamento do animal.

Para ajudar com qualquer quantia, basta entrar em contato com a entidade e solicitar os dados bancários através do número (13) 996180179.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo