FINAL FELIZ            

Vaca que fugiu durante meses após escapar de matadouro vai viver em santuário

O sofrimento e a exploração ficaram no passado e Princesa nunca mais correrá o risco de ser morta para consumo humano            
Princesa foi resgatada e vai viver em um santuário (Foto: Dartmouth Animal Control)

Uma vaca que escapou do caminhão que a transportava para o matadouro e fugiu durante nove meses no Canadá finalmente foi resgatada e encontrou um lar para viver em paz, longe do sofrimento e da exploração.

Princesa, como passou a ser chamada, nunca mais correrá o risco de ser morta para consumo humano. Livre, ela está vivendo em uma fazenda enquanto aguarda liberação para ser transferida para um santuário.

Da espécie angus, a vaca de dois anos de idade foi monitorada por meses pelo Controle de Animais de Dartmouth, que repetidas vezes tentou resgatá-la, mas não obteve sucesso. A oficial do departamento, Sandra Gosselin, relatou que Princesa desaparecia toda vez que a equipe de resgate tentava levá-la para um local seguro. “É como procurar agulha no palheiro”, disse.

No entanto, a fuga da vaca chegou ao fim recentemente após Princesa aparecer no quintal da casa de uma família que vive no estado norte-americano do Colorado. Os moradores reconheceram a vaca e acionaram o Controle de Animais.

Assustada, Princesa fugia sempre que tentavam resgatá-la (Foto: Dartmouth Animal Control)

O resgate, porém, foi bastante difícil, já que Princesa demonstrou resistência à ideia de entrar no trailer escolhido para transportá-la. Armadilhas e alimentos foram usados para atrai-la, mas sem efeito. Foi então que um oficial a laçou com uma corda e a puxou para dentro do trailer, permitindo que ela fosse resgatada. “Fiquei no chão por 45 minutos e ela ficou olhando para mim”, relatou Gosselin.

Levada à fazenda de Sandra Gosselin, a vaca passou a desfrutar de uma área com lago, grama e pomar, onde tem vivido bons momentos. Seu lar definitivo, entretanto, será um santuário em Nova Jersey, para onde será levada assim que a oficial obtiver autorização para o transporte.

“Foi provavelmente um dos [animais] mais difíceis que tentei pegar. Ela era muito inteligente”, concluiu Gosselin.

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo