Patrimônio Mundial em Bangladesh está ameaçado pelo crescimento de indústrias

           

A floresta Sundarbans, a maior floresta de mangue arbóreo do mundo que abriga várias espécies ameaçadas, e também um Patrimônio Mundial da UNESCO, está sendo comprometida pela “industrialização imprudente”. A conclusão é do especialista em direitos humanos e meio ambiente da ONU, John Knox, que pediu na última terça-feira (31) ao governo de Bangladesh que suspendesse as autorizações de empresas na região.

A floresta Sundarbans, um Patrimônio Mundial da UNESCO em Bangladesh, está sendo comprometida pela "industrialização imprudente".
Pesquisadores viajando em um pequeno canal durante uma visita de campo aos Sundarbans em Bangladesh. (Foto: FAO / Mondal Falgoonee Kumar)


“A acelerada industrialização dos Sundarbans ameaça não apenas este ecossistema único, que abriga tigres de bengala, golfinhos do rio Ganges e outras espécies ameaçadas, mas também coloca em risco os direitos humanos das 6,5 milhões de pessoas cujas vidas, saúde, moradia, alimentação e as atividades culturais dependem diretamente de uma floresta segura, saudável e sustentável ”, disse Knox.

Localizado no sudoeste de Bangladesh, os Sundarbans são considerados uma das maravilhas naturais do mundo. No entanto, apesar das objeções do Comitê do Patrimônio Mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e da União Internacional para a Conservação da Natureza, o governo de Bangladesh aprovou mais de 320 projetos industriais na área, incluindo uma grande usina de carvão. O processo ultrapassou os requisitos de participação pública e uma avaliação de impacto ambiental.

No ano passado, o Supremo Tribunal de Bangladesh orientou o governo a não aprovar qualquer desenvolvimento industrial dentro da zona de amortecimento de 10 quilômetros da floresta protegida, mas segundo a UNESCO, as aprovações continuam a ser fornecidas.

Knox afimou que é compreensível que a população de Bangladesh, assim como todas as pessoas do mundo, buscam melhorar sua economia e bem-estar. Porém o especialista assinalou que “buscar ganhos econômicos a curto prazo desrespeitando o meio ambiente” é uma prática simplesmente insustentável. Ele explicou que os manguezais proporcionam “a limpeza do ar e da água, benefícios que se estendem para muito além de sua localização imediata”, e pediu ao governo de Bangladesh que suspenda a industrialização na região protegida.

“Para ter um desenvolvimento verdadeiramente sustentável, é fundamental proteger o meio ambiente. E para garantir que as preocupações ambientais sejam levadas em conta, os governos devem ouvir as vozes daqueles que são mais afetados pelos projetos industriais propostos. Muitas vezes, as pessoas que levantam questões sobre projetos de desenvolvimento são ignoradas ou até tratadas como inimigas do Estado. Mas, na verdade, eles devem ser tratadas como defensoras do desenvolvimento sustentável ”, disse o especialista independente.

A ganância do ser humano está exaurindo todos os recursos naturais do planeta. Este ano, graças a essas ambições monstruosas, o Dia de Sobrecarga da Terra, que marca o ponto em que os recursos estão sendo consumidos em uma velocidade maior que o planeta consegue se recuperar, chegou em tempo recorde este ano. A cobiça levará espécies vegetais, animais e finalmente os seres humanos à extinção, caso medidas duras não sejam tomadas contra a exploração do planeta.

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação

Você Viu?

ir para o topo