Finanças para mulheres ativistas – parte 1

           
Brigitte Bardot canalizou sua beleza, fama e dinheiro em beneficio dos animais.

Entender de finanças sempre foi uma tarefa atribuída aos homens e são eles que dominam o mercado financeiro.

Ultimamente muitas mulheres estão encarando a tarefa de ler sobre o assunto e, quem sabe, investir.

Eu sou uma delas. Como as mulheres têm expectativa de vida mais longa e um potencial de consumo estratosférico, nada melhor do que um planejamento detalhado e coragem de encarar números, contas, organizar sua vida.

Tempos atrás nem conferia o quanto eu ganhava. Mas aprendi com meu pai a valorizar o dinheiro e usar em coisas que promovam o bem.

Como ativista pelos direitos animais, sempre ouço das pessoas frases de comoção, de que adorariam ajudar mas não podem etc.

Os grupos e ONGs, na sua grande maioria, contam com ajuda financeira de voluntários, e não raro acontece de um grupo estar na penúria, por falta de dinheiro. Se falta mão de obra, imagina quando pesa no bolso?

A proposta aqui, nada modesta e nada original, é colocar algumas dicas sobre finanças para quem deseja ajudar não só com seu empenho, mas com dinheiro, que é fundamental.

1- Sugiro que as mulheres coloquem sempre no papel suas despesas; é uma dica velha, mas vem a calhar quando o assunto é fazer seu dinheiro render.
Há diversos sites na internet que ensinam um modo prático de fazer isso, mas um bloco de notas na bolsa ajuda muito.
Pesquise preços, confira prioridades, avalie a necessidade de tudo o que comprar.

2- Controle o impulso de comprar tudo. O mundo é voltado para as mulheres, para que elas comprem cada vez mais.
Conheço gente que gasta fortunas em tratamentos de beleza que não fazem efeito algum.

A belíssima Brigitte Bardot em seu livro de memórias conta que jamais faria plástica, pois seu dinheiro será todo empregado na luta pelos direitos animais.

Ela tem um instituto de defesa dos animais na França e é um exemplo para todas as mulheres. Um fator importante é a falta de exemplos femininos nessa área, mas pesquisando encontraremos boas inspirações.

3- Poupe uma quantia todos os meses, pague-se em primeiro lugar. Isso significa depositar uma quantia qualquer em seus investimentos, poupança etc. Antes de comprometer esse dinheiro com contas diversas. As mulheres devem pensar no futuro e conciliar o presente com o que esperam do amanhã. Isso significa a difícil tarefa de viver bem o presente e assegurar um bom futuro. É um desafio, mas quem não quer tentar conquistar esse prêmio do bem viver?

Outra sugestão é nunca depender de ninguém. E cuidar do próprio dinheiro é garantir a independência.

Todos os sites sobre finanças têm artigos ótimos sobre questões importantes, como, por exemplo, qual a real necessidade de se ter um carro? Casa própria?

Cada um sabe de suas necessidades, mas em vez de já ir fazendo um longo financiamento sobre um bem que comprometerá infinitos meses de seu trabalho, que tal pensar numa forma diferente? Economizando para mais tarde comprar o  item à vista e com um ótimo desconto?

Muitas vezes um aluguel barato em um bom local vale muito mais do que empenhar uma grana forte num financiamento que se prolonga pela eternidade. Sem planejamento não dá.

A questão do carro ainda é mais delicada, pois vivemos numa época em que ter carro significa ficar horas no trânsito e não representa mais o conforto que um dia representou. É um bem que gera muitas despesas e só deveria ter quem realmente necessita dele. Mas no Brasil a produção e venda a cada dia aumentam mais. Com isso o trânsito está cada vez mais lento, a poluição aumentando mais e a falta de educação no trânsito está gritante.

É algo a ser repensado com urgência.

Para quem tem filhos imagino que a preocupação com o futuro deva ser mais urgente, e uma economista sugeriu, certa vez, que a mulher que tem filhos deve primeiramente investir em si mesma, pois assim ela poderá ajudar-se e ajudar seus filhos. Pois a mulher que investe somente nos filhos e não em si poderá depender deles e nem sempre eles terão condições de ajudar, ou mesmo podem não querer ajudar, como muitas vezes acontece. Filhos são feitos para o mundo, mudam de país, somem do mapa. Como eu sempre digo, é sempre bom ser independente!

Uma boa formação, muita leitura e informação sobre finanças podem garantir um bom futuro para as mulheres. Assim esperamos.

Continuação em breve…

Dicas de sites:

Fundação Brigitte Bardot http://www.fondationbrigittebardot.fr

Elas e lucros – finanças para mulher http://elaselucros.blog.uol.com.br/

Livro: O sexo oculto do dinheiro: formas de dependência feminina.  Coria, Clara. Ed. Rosa dos Tempos.

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação

Você Viu?

ir para o topo