"Festas" no RS: tourada, futeboi, rodeio para crianças e porcos engraxados

Por Marcio de Almeida Bueno   (da Redação)

Neste final de semana, duas cidades do interior do Rio Grande do Sul dão uma demonstração de especismo e retrocesso. Passo Fundo e Cotiporã promovem rodeio e festa campeira, respectivamente, fazendo uso dos animais como lazer violento. Dentro do conceito de bem-estar animal, e não de liberdade, tais eventos agarram-se ao suposto tradicionalismo – e ao patrocínio público e privado, claro – para continuarem sua existência.

Prova de Tiro de Laço. Imagem ilustrativa

No XV Rodeio Internacional de Passo Fundo, a ‘Capital Nacional do Churrasco’, além da exploração dos animais nas provas já ‘tradicionais’, como tiro de laço, gineteada etc, este ano haverá Show de Touros, com a equipe de touradas Airton Vargas. Segundo o diretor, toureiro Airton Vargas, três profissionais entram na arena, dentre eles um palhaço, mas que no decorrer do show, que dura 45 minutos, peões da platéia podem sentir a adrenalina participando da tourada dentro na arena.

Na ‘Mesa da Amargura’, quatro espectadores ficam em uma mesa dentro da pista, até serem atacados pelo touro. Vargas garante que, “para preservar a integridade física dos participantes”, o touro teve os chifres serrados. Já no ‘Tonel em Apuro’, um voluntário entra em um tonel e, com a ajuda do palhaço, chama a atenção do touro para que venha a seu encontro, rolando pela arena. A atividade acontece nesta quinta, sexta e sábado às 21h, exceto no sábado que será às 20h.

“Quero lembrar que muitos dos que defendem os rodeios, justificam-se dizendo que rodeio é tradição. Gostaria de saber desde quando se vestir de cowboy americano e assistir touradas é tradição gaúcha. As touradas não são mais permitidas até mesmo onde eram ‘tradicionais’, como na Catalunha”, lembra a historiadora Marcelle Nogueira Toscani de Raya Nedel, ativista do grupo CoMPaTA, de Passo Fundo.

Já Cotiporã, ‘A Jóia da Serra Gaúcha’, sedia a partir desta quinta a III Festa Campeira de Cotiporã, promovida pelo CTG Pousada dos Carreteiros. Além das tradicionais provas de rodeio, haverá inauguração da Cancha B, para crianças montarem em ovelhas e lançarem terneiros, além de porcos cobertos de graxa e peões montando cavalos que não aceitaram ser domados. A Associação Protetora dos Animais São Francisco de Veranópolis, vizinha a Cotiporã, recebeu queixas de pessoas que ouviram o anúncio do evento nas rádios da região. A presidente Vivânia Caser entrou em contato com a organização para repassar as queixas e manifestar seu repúdio.

“Cotiporã é uma cidade famosa pela geografia montanhosa, não há campos, para que houvesse qualquer tradição de montaria e gineteada. É tudo muito primitivo”, declarou a protetora. Segundo Ronei Fialho, patrão do CTG que está promovendo o evento, preza-se o bem-estar dos animais, e o objetivo é “afastar as crianças das drogas”.

Essas festas de crueldade precisam acabar. Para protestar, escreva para:
Prefeitura Municipal de Cotiporã ([email protected])
Prefeitura de Passo Fundo ([email protected])

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação

Você Viu?

ir para o topo