Para ativista, choque do Ady Gil com baleeiro “não foi um acidente”

           

Uma ativista húngara que estava presente quando o navio ecologista Ady Gil bateu com um baleeiro japonês na quarta-feira, em águas da Antártida, afirma que “não foi um acidente” e responsabilizou a embarcação japonesa pelo choque.

A ecologista Veronika Kristoff disse hoje ao jornal Népszabadság que o caso também foi documentado por colaboradores do canal Animal Planet, “o que facilitará o esclarecimento dos detalhes do caso”.

O choque ocorreu quando os ecologistas perseguiam a embarcação japonesa para impedir a caça de baleias. A embarcação Ady Gil, da organização ambientalista Sea Shepherd, ficou destroçada e sua tripulação foi resgatada por outro de seus navios, enquanto um dos ecologistas sofreu graves ferimentos, segundo a imprensa.

Desde então baleeiros e ecologistas se acusam mutuamente pelo fato, e o Governo da Nova Zelândia anunciou hoje a abertura de uma investigação. A ecologista húngara ressaltou que o fim da caça das baleias “está nas mãos dos países onde a atividade é realizada”.

Também lembrou que a Austrália e a Nova Zelândia não autorizam a ancoragem de baleeiros japoneses em seus portos, o que os obrigou no passado a dirigirem-se à Indonésia em caso de sofrer uma avaria.

A Comissão Baleeira Internacional condena a atividade dos baleeiros japoneses, que planejam caçar neste ano, com “fins científicos”, 35 exemplares da variedade rorcual aliblanco e 50 baleias de aleta.

Fonte: Último Segundo

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação

Você Viu?

ir para o topo