PORTO ALEGRE (RS)            

Projeto oferece atendimento veterinário gratuito para animais em situação de rua

ONG fornece consulta clínica, vacinação, tratamento de pele, oftalmológico e entrega de medicamento            
Depois que seu cão ganhou carteira de vacinação, Evanir disse: “Negão, olha só, tu tem uma identidade agora” | Foto: Karina Mendonça / Arquivo Pessoal

Filhote, adulto, de grande, médio ou pequeno porte. Companheiros de quem vaga pelas esquinas, os animais de tutores sem teto contam com um serviço veterinário especializado em Porto Alegre: é a ONG Médicos-Veterinários de Rua, no Instagram, Vets de Rua-Poa.

Criado no segundo semestre de 2021, o projeto atendeu 200 animais nas sete ações realizadas em comunidades de maior vulnerabilidade e no Viaduto Imperatriz Leopoldina, na Avenida João Pessoa. Segundo uma das coordenadoras, a bióloga Camila Timm Wood, 36 anos, o objetivo é tratar os animais ao menos duas vezes por mês.

Criado no segundo semestre de 2021, projeto atendeu 50 animais nas cinco ações realizadas em comunidades de maior vulnerabilidade | Foto: Vets de Rua / Divulgação

“A pessoa em situação de rua, às vezes, tem o animal como único companheiro. Todo mundo merece a companhia de um animal, criaturas que alegram nossa vida” afirma a bióloga, em entrevista à Rádio Gaúcha na manhã desta segunda-feira (23).

Via de regra, os atendimentos são para cães, que são maioria ao lado de quem está em situação de rua. Mas os voluntários já depararam com gatos e até com uma calopsita nas abordagens.

Cães são maioria, mas gatos também são atendidos | Foto: Vets de Rua / Divulgação

Os médicos-veterinários oferecem gratuitamente medicamentos, consultas clínicas, vacinação, tratamento de pele e oftalmológico, além de outras especialidades. No momento em que é avaliado, o animal ganha ainda uma carteirinha de vacinação.

Até uma calopsita foi tratada após abordagem | Foto: Vets de Rua / Divulgação

“Um dia o Evanir (tutor) olhou pro seu cachorro e disse: ‘Negão, olha só, tu tem uma identidade agora’, conta Camila.”

Atualmente, o grupo é formado por 20 médicos-veterinários, 10 estudantes e quatro auxiliares coordenados por seis profissionais. Trabalham em conjunto cem apoiadores antes, durante e após cada ação.

Objetivo é tratar os animais ao menos duas vezes por mês | Foto: Vets de Rua / Divulgação

Como ajudar

Para ampliar o conforto dado aos animais acolhidos, a associação aceita doações de roupas e cobertores. Também é buscado um parceiro que possa imprimir receituários e cadernetas, ou que ajude com as doses. Equipamentos de proteção individual, como máscaras, luvas cirúrgicas e álcool gel são bem-vindos da mesma forma, até mesmo o tablet no qual os dados são inseridos é compartilhado, e mais computadores do tipo ajudariam a causa.

Médicos-veterinários oferecem gratuitamente medicamentos, consultas clínicas, vacinação, tratamento de pele e oftalmológico, além de outras especialidades | Vets de Rua / Divulgação

No Instagram @vetsderua.poa há fotos dos tutores e seus companheiros: um filhote em um carrinho de supermercado, um senhor alimentando o cachorro pela palma da mão e os voluntários em atividade nos viadutos e nas calçadas. Evanir e Negão também demonstram o carinho mútuo.

Uma campanha na página leva o nome “Sexta dos R$ 5”, com pedido da singela doação via Pix (chave [email protected]) para um “sextou” mais solidário. A conta é em nome de Valéria da Silva Chaves, voluntária da ONG.

Fonte: GZH Porto Alegre

Comente

Comunicar erro

               

Veja Também

ir para o topo