PANDEMIA            

Amazon se tornou uma das principais fontes de poluição plástica do planeta

Varejista online contesta o estudo dizendo que produziu 270.000 toneladas de embalagem ano passado, com 10.000 toneladas suscetíveis de acabar no mar            
Foto: Amit Dave/Reuters

As embalagens de plástico da Amazon dispararam em um terço, a 270.000 toneladas, durante a pandemia do ano passado, de acordo com um relatório de uma organização de conservação dos oceanos, a Oceana.

Oceana estima que 10.700 toneladas de plástico, incluindo almofadas de ar, plástico bolha e envelopes revestidos com plástico bolha, equivalentes a uma van a cada 67 minutos, são suscetíveis a parar no mar.

A Amazon, a maior varejista do mundo ocidental, rejeitou as conclusões de Oceana e afirmou que o relatório aumentou a quantidade de resíduos plásticos em 300%. A empresa também questionou o modelo utilizado para estimar a porcentagem sujeita a acabar no mar. Não foi providenciada nenhum cenário alternativo.

A varejista observou um aumento de 38% nas vendas, a $386 bilhões (mais de 2 trilhões de reais) em 2020, quando a maior parte do mundo estava em lockdown e as vendas online aumentaram.

O relatório da Oceana desafia as promessas de reciclagem da empresa, usando entrevistas com oficiais de resíduos municipais, lojas ligadas à Amazon pelo site de reciclagem Amazon Second Chance e pesquisas com consumidores da Amazon Prime. Ele concluiu que os esforços de reciclagem da empresa “não vão diminuir significativamente a quantidade enorme – e crescente – de plástico produzido.”

Matt Littlejohn, vice-presidente da Oceana, afirmou: “Nós estamos usando as melhores informações disponíveis. Se a Amazon fosse mais transparente, nós usaríamos os dados de bom grado. Sim, eles estão usando mais embalagens sem plástico, mas também estão vendendo muito mais produtos.

“Nós entendemos que as pessoas precisam da Amazon. Então esperamos que a Amazon possa resolver esse problema e se torne uma líder em reduzir a produção de plástico, o qual é muito importante para os oceanos.”

O plástico filme usado pela Amazon em suas embalagens tem pouco ou nulo valor para o mercado de reciclagem e não é comumente aceito em postos de reciclagem nos EUA, Reino Unido e Canadá, segundo o relatório.

Oceana descobriu que quase 75% dos consumidores da Amazon Prime entrevistados em 25 cidades no Reino Unido e dos EUA enviavam o plástico, conscientemente ou não, para aterros sanitários. Quase 40% dos entrevistados colocam o plástico em lixos recicláveis, onde o plástico filme acabaria indo para o lixão, e 35% jogam o plástico no lixo comum. Pouco menos de 20% dos 1.400 entrevistados diziam reusar o plástico, e 5% disse que levam suas embalagens para cabines de reciclagem em lojas, pelo programa de reciclagem da Amazon Second Chance.

Além disso, representantes de mais de 40% das lojas da Amazon sugerem como cabines de reciclagem alternativas para plástico filme, disseram que o plástico filme da Amazon não é aceito.

Apenas 9% de todo plástico produzido foi reciclado. Quase tudo vai para o lixão, é queimado ou polui o meio ambiente, incluindo rios e oceanos.

Rachel Johnson Greer, um antigo programa de gestão da Amazon, o qual trabalhou para a empresa por 8 anos, afirmou que a empresa apenas tomava ação sobre o plástico se o governo ou a maioria dos consumidores demandava isso.

Em maio, mais de um terço dos acionistas da Amazon votaram a favor de uma resolução para os plásticos que são usados apenas uma vez e providenciar recomendações sobre como reduzir a produção de plástico até o fim do ano.

Oceana destacou a ação da empresa na Índia, onde eliminou o uso de plástico utilizados apenas uma vez nas embalagens utilizando embalagens de papel, após o primeiro-ministro, Narendra Modi, e o governo ter pedido que os plásticos de uso único fossem banidos até 2022. O banimento foi adiado, mas o tribunal decidiu que as embalagens fossem responsabilidade dos produtores, importadores e donos de marcas.

A Amazon anunciou que continuaria a se distanciar do plástico de uso único na Alemanha.

“Se a empresa pode fazer isso na Índia e na Alemanha, eles podem banir o uso do plástico de uso único no mundo todo,” Littlejohn afirmou.

Um porta-voz da Amazon disse: “a Amazon compartilha com a Oceana a ambição de proteger os oceanos do mundo e respeitar seu trabalho, mas, pelo segundo ano, seus cálculos estão com sérias falhas. Eles aumentaram nosso uso de plástico em mais de 300%, e usaram informações desatualizadas sobre as fontes dos plásticos que entram em nossos oceanos.”

“A Amazon está em rápido progresso reduzindo ou removendo os plásticos de uso único das embalagens no Reino Unido e por todo mundo.”

Dentre suas iniciativas para reduzir os resíduos plásticos, a Amazon está planejando dobrar a quantidade produzida de plástico reciclável na América do Norte, repor os de uso único na Austrália por embalagens de papel 100% recicláveis, e expandir sua iniciativa livre de embalagens em 100 cidades pela Índia.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo