COMPANHERISMO            

Gato salva a vida de tutor idoso após queda no banheiro

           
Foto: Reprodução | FOX17

Ron Willians, um senhor que mora sozinho no Michigan, Estados Unidos, sofreu um acidente doméstico e foi salvo pelo seu gato Fluffly, após passar cerca de 16 horas na mesma posição. Uma brincadeira entre o guardião e o animal salvou a vida Ron.

Williams, que completou 85 anos em setembro desse ano, se sentia muito sozinho e desamparado. Foi quando o gatinho Fluffly apareceu em sua vida para lhe fazer companhia e deixar seus dias mais divertidos. Nas primeiras semanas juntos, Ron e o animal sentiram uma conexão muito forte. “Olhei para ele e me apaixonei”, disse o homem ao jornal FOX17.

O idoso, assim como muitos tutores, conversava bastante com seu companheiro Fluffy, e eles compartilhavam diversas atividades juntos, inclusive uma brincadeira específica quando Ron recebia ligações no celular. “O telefone tocava e eu dizia ‘ring-a-ding’”, conta Ron. “E eu não sabia que ele iria pegar”.

Foto: Divulgação

Certa manhã, Ron escorregou na banheira quando estava saindo do banho e caiu no chão sem conseguir se mexer. “Meu braço estava preso sob mim e eu fiquei ali por horas, umas 16, eu acho”, lembra o idoso.

O acidente aconteceu por volta das 8 da manhã e ele ficou lá até a meia-noite. Ron já estava em agonia, a porta do banheiro estava fechada e seu alerta de vida estava carregando na sala. O telefone celular estava na pia, mas ele não conseguia se mexer para poder pegá-lo.

Felizmente, mais alguém estava com ele dentro do banheiro, e mesmo sem querer, Ron preparou Fluffly exatamente para esse momento. “Eu disse ‘ring-a-ding’ Fluffy, você é a minha única esperança”, e em menos de cinco minutos o gato conseguiu entregar o celular para o seu tutor. “Eu senti algo bater na minha mão, e se eu estou aqui é por causa dele”, diz emocionado o ancião.

Assim como nas brincadeiras do dia-a-dia, o gato subiu na pia e jogou o celular para seu guardião, que conseguiu finalmente pedir ajuda. “Eu revivo aquele momento um milhão de vezes e penso que se ele não estivesse ali dentro comigo, eu estaria morto hoje”, exclama Ron.

Foto: Divulgação

O idoso, que foi combatente do exército americano na Coréia, ficou com alguns hematomas e vários inchaços pelo corpo. Mesmo assim ele comemora poder viver mais alguns anos na companhia do seu fiel amigo e companheiro Fluffy. “Ele é meu herói e sempre será. Ele nunca estará longe de mim até o dia em que eu morrer”, finaliza Willians.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo