CONSCIÊNCIA            

Revista Elle censura a produção de conteúdos com pele animal

           
Foto: Ilustração | Pixabay

A revista Elle, uma das maiores do setor de moda, proibiu a divulgação de publicações que contenham fotos ou menção a pele animal em suas redações, tanto por via impressa quanto digital. O pronunciamento foi feito nessa quinta-feira (2) em uma conferência do evento The Business of Fashion, realizado na Inglaterra. A medida levanta o discurso controverso das grandes marcas da moda de luxo que querem se desassociar da exploração animal e continuar ganhando dinheiro com isso.

Fundada em 1945 na França, a Elle produz edições diferentes para 45 países, inclusive o Brasil, e realiza uma cobertura especializada em tendências do mercado de luxo. Com o novo posicionamento, o periódico se torna a primeira das grandes revistas de moda a censurar conteúdos editoriais e publicitários que apresente pele de animais.

Segundo Valéria Bessolo Llopiz, diretora internacional da Elle, o setor de peles naturais não representa mais um grande volume de renda para a marca. “Não podemos manter um discurso de um lado e ganhar dinheiro do outro, em direções completamente opostas”, declara Llopiz.

Foto: Ilustração | Pixabay

Hoje 13 edições da revista já não utilizam esse tipo de conteúdo. Porém, segundo informações da agência de notícias AFP, a nova medida só será vigente para todos os países em 2023. Até lá, apenas outras 20 edições adotarão a nova linha editorial da empresa.

O envolvimento de uma marca relevante, como a Elle, com a tentativa de coibir a indústria de pele animal e o uso dessas mercadorias, denota a ampliação do engajamento das pessoas e instituições com a defesa dos direitos animais.

Muitos setores da moda estão se movimentando em uma tentativa de limpar a imagem de suas instituições e desvincular a exploração de vidas selvagens para produção de artigos de luxo que utilizam animais exóticos na confecção, não só de roupas, mas de sapatos, bolsas, acessórios e mais uma infinidade de peças fúteis que ferem diretamente o bom senso e destroem ecossistemas e espécies inteiras de animais.

Em algumas cidades europeias onde acontecem os desfiles do mundo da moda, como Amsterdã, Holanda e Oslo, a apresentação de pele é banida. Por outro lado, as maiores passarelas do mundo, como Paris, na França, ainda consentem que as marcas influenciem as pessoas a usarem pele animal.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo