PERVERSÃO            

Vídeos pornográficos com crueldade contra animais são criminalizados

           
Foto: Reprodução | Daily Mail

Nova Gales do Sul se tornou o primeiro estado australiano e proibir e criminalizar a crueldade contra animais na indústria pornográfica. Imagens aterradoras que circulam na internet mostram animais, principalmente cães e gatos, sendo torturados, esmagados e abusados sexualmente e têm como objetivo atender “fetiches” de “animal crush”, duvidosos e doentios.

A nova lei foi aprovada na última quinta-feira (25) e abrange a produção, disseminação e consumo das imagens. A tortura de animais em vídeos pornográficos é uma denúncia antiga de ativistas em defesa dos direitos animais. A porta-voz da Animal Justice Party, Emma Hurst, afirma que a decisão é uma vitória histórica para a causa animal.

“Ver esses vídeos me deixou desesperado para fazê-los parar. Isso tinha que ser considerado crime. Na verdade, não posso acreditar que possuir e comercializar esses vídeos era legal. Agora que esta lei foi aprovada em NSW, precisamos das mesmas leis em todo o país – e não vou descansar até que o façamos”, disse ao Daily Mail.

Uma investigação recente mostrou que milhares de vídeos de tortura de animais de “animal crush” podem ser encontrados facilmente até por crianças na internet. Agora, uma força-tarefa será montada para realizar a remoção das imagens e a identificação das fontes. Muitos dos vídeos são produzidos em países asiáticos, onde legislações são frouxas.

Foto: Reprodução | Daily Mail

“É chocante que essa emenda tenha sido exigida. Essa era uma lacuna perigosa em nossas leis que precisava ser corrigida com urgência. Além do terrível sofrimento dos animais envolvidos, existe uma ligação bem estabelecida entre o sadismo animal e a violência contra os humanos, tornando-se um importante sinal de alerta para outros crimes violentos”, pontua Hurst.

E completa: “Enquanto a maioria dos vídeos de paixão por animais são filmados no exterior, permitir a posse e o comércio desses vídeos na Austrália cria um mercado para esse material horrendo. Ao proibir a posse, também podemos ajudar a impedir a crueldade contra os animais em primeiro lugar”, acredita a ativista em defesa dos direitos animais.

A nova lei pune com até cinco anos de detenção em casos de produção, distribuição e posse de vídeos de “animal crush”.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo