CASO BROTAS (SP)            

Ativistas realizam ato para conscientizar sobre maus-tratos a búfalas

           
Foto: Instagram | @bufalas_de_brotas

Na tarde desse domingo (28), cerca de 80 ativistas e protetores de animais se reuniram em frente a bolsa de valores de São Paulo, a B3, para manifestar repúdio a crueldade cometida contra as búfalas da Fazenda Água Sumida, na cidade de Brotas, interior paulista.

Em um ato pacífico para evocar a situação que milhares de animais vivem todos os dias, à mercê de algozes que priorizam o patrimônio em detrimento da vida, os manifestantes levantaram cartazes como, “animal não é coisa” e “cadê o leite dos bebês búfalos”, para tentar despertar as pessoas, sobre a importância do questionamento ético sobre produtos que são feitos a partir da exploração animal.

Alguns ativistas e veterinários que estiveram presencialmente na fazenda, fizeram parte da manifestação. “O conceito do nosso ato é a substituição do touro de ouro viril pela búfala. Uma substituição de uma aberração fantasiosa pela realidade”, sintetiza Diogo Fernandes, da ONG Amor e Respeito Animal (ARA) e um dos organizadores da manifestação, para a reportagem do Globo Rural.

Fernandes esteve presente no local no dia 12 de novembro e decidiu se dedicar ao engajamento de mais pessoas após a chegada das equipes especializadas que, hoje, prestam socorro aos animais, que ainda estão em estado grave.

Uma investigação da Polícia Civil está em curso e apura as causas por trás dos maus-tratos infligidos a esses animais. Uma das hipóteses levantadas é a que o pecuarista Luiz Augusto Pinheiro, queria arrendar a fazenda para o plantio de soja, e para se desfazer das búfalas, que não tinham mais serventia, as trancou em um curral sem acesso a água ou comida, por 20 dias.

“Eu não sou veterinário, zootécnico, não tenho nenhuma especialidade e entendi que o meu melhor papel seria o de reportar mesmo, de tirar fotos e enviar”, conta Fernandes. Milhares de compartilhamentos das imagens vem acontecendo na internet nos últimos dias. Para se ter uma ideia, uma página criada na rede social Instagram, feita para atualizar o público sobre a situação das búfalas, já tem quase 70 mil seguidores.

Foto: Instagram | @bufalas_de_brotas

Realidade simulada

Em contraponto com toda essa situação, temos o touro de ouro, que representa a soberba do mercado financeiro, e que foi colocado em frente a Bolsa de Valores de São Paulo. Os manifestantes foram levar a búfala de Brotas para o mesmo local, na intenção de provocar uma reflexão sobre o real espaço desse animal na cultura moderna.

“A ideia que a gente tem é a de substituir esse touro com a manifestação de hoje, trazendo a realidade desses animais, que não é a de um animal forte, robusto em si. Mas sim um animal de pele e osso e exposto a negligências e atrocidades como a de Brotas”, afirma com indignação Diogo.

Uma das principais reivindicações das pessoas que se reuniram ontem no centro de São Paulo, é a transferência dos animais para um Santuário, onde as búfalas grávidas possam ter seus bebes e finalmente viver em paz.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo