GUARUJÁ (SP)            

Tutor morre e cão aguarda o seu retorno em frente a hospital há 1 ano

           
Foto: Reprodução | Redes Sociais

Um cãozinho que permaneceu meses à espera do seu tutor em frente a uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) no Guarujá, litoral paulista, finalmente foi resgatado.

O guardião do animal foi internado e morreu na UPA da Rodoviária há cerca de um ano. Desde então, o cãozinho fica nas redondezas da unidade hospitalar. Moradores da região e uma funcionária da unidade alimentam o cão, mas isso não é suficiente.

Em entrevista para o portal G1, nesta quinta-feira (25), o superintendente de bem-estar animal do Canil Municipal do Guarujá, Júlio César da Silva, de 25 anos, relatou que o cachorro batizado de Hachiko, foi resgatado há pouco tempo pelo órgão municipal.

“O tutor dele, que não sabemos por qual motivo foi passar no PAM [antigo nome da UPA] da Rodoviária, acabou falecendo lá. E o cachorro não saiu nenhum momento de lá, desde quando ele foi internado, até quando o dono morreu. Acho que ele ficou lá mais de um mês, na esperança de que o dono iria sair”, conta Júlio.

Os cuidadores do animal acionaram as autoridades. “Ele foi definhando cada vez mais, emagrecendo, com aquele olhar triste, porque ele sente falta do tutor. Então, ligaram no canil para resgatá-lo, a prefeitura mesmo pediu nosso auxílio. Aqui no abrigo, ele fica o tempo todo procurando alguém, que deve ser o tutor dele”, informam os funcionários do local.

A história do cãozinho foi parar na página oficial do Canil Municipal Guarujá e viralizou em poucas horas. Muitos moradores da região do Paço Municipal comentaram que sempre viam o animal em frente à UPA Rodoviária e faziam carinho nele, porque ele sempre foi um cachorro muito meigo e dócil.

Hachiko

Foto: Ilustração | Pixabay

Hachikō foi um cachorro da raça Akita que viveu no Japão nos anos de 1920. Ele acompanhava o seu tutor Hidesaburō Ueno, que era professor universitário, todos os dias de casa até a estação de trem, e na volta, da estação de trem até em casa.

No dia 21 de maio de 1925, Ueno sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) durante o trabalho e morreu. Do dia da morte do seu tutor até a sua própria morte, em 8 de março de 1935, Hachiko foi todos os dias esperar o retorno de Ueno na estação de Shibuya.

A história que é conhecida em várias partes do mundo e ganhou até um filme sobre o cãozinho, serviu de inspiração para batizar o ‘Hachiko’ do Guarujá, que aguarda por um lar quentinho onde ele possa amar e ser amado novamente.

Quem tiver interesse na adoção responsável dele pode entrar em contato com o Canil Municipal do Guarujá e obter mais informações.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo