COMÉRCIO ILEGAL            

Cerca de 210 animais silvestres são resgatados em feira de Fortaleza

Os animais estavam em situação precárias, com gaiolas sujas e em cativeiro, e seriam vendidos na Feira da Parangaba.            
BPMA resgata diversos animais silvestres na Feira da Parangaba, em Fortaleza. — Foto: BPMA/Reprodução
BPMA resgata diversos animais silvestres na Feira da Parangaba, em Fortaleza. — Foto: BPMA/Reprodução

Cerca de 210 animais silvestres, como tartarugas-tigre, jabutis e periquitos-da-caatinga, foram resgatados no último domingo (24/10) na Feira da Parangaba, tradicional ponto de comércio de Fortaleza, no Ceará.

A operação de combate ao comércio ilegal de animais silvestres feito pelo batalhão de Polícia do Meio Ambiente (BPMA) conduziu cinco suspeitos a uma unidade policial, mas apenas um foi preso.

Os animais foram levados para a Delegacia de Proteção do Meio Ambiente (DPMA), onde serão analisados por uma bióloga.

Segundo a polícia, entre os animais apreendidos estavam diversas espécies como: tartarugas-tigre, jabutis, periquitos-da-caatinga, calopsitas, galo-de-campina e pássaro bigodinho. Uma das calopsita tinha sinais aparentes de maus-tratos.

Pena

A prática de crimes contra a fauna silvestre é tipificada pela Lei 9.605/1998 – que dispõe sobre as sanções penais e administrativas para condutas que causam danos ao meio ambiente.

A venda ou guarda de animais silvestres sem permissão, licença ou autorização das autoridades pode resultar em detenção de seis meses a um ano, além de multa.

A pena pode ser aumentada pela metade no caso de crime praticado contra espécie rara ou considerada ameaçada de extinção.

Já o artigo 32 diz que quem “praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos” ficará sujeito a receber uma pena que pode variar de três meses a um ano.

Nota da Redação: Como nós, os animais nasceram para viver livremente. Manter um animal engaiolado é um dos crimes mais cruéis do ponto de vista ético. Infelizmente as nossas leis ainda permitem que algumas espécies de aves sejam caçadas, comercializadas e aprisionadas apenas para satisfazer a ganância e os desejos inconscientes e cruéis de algumas pessoas. Não podemos mais aceitar calados este tipo de prática como também todas as outras que tratam os animais apenas como mercadoria ou objeto de decoração. As leis precisam avançar e proibir qualquer forma de manutenção de animais em cativeiro.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo