ECONOMIA            

Aumento do preço do frango desestimula consumo no Reino Unido

Mesmo em meio a crise, pessoas são encorajadas a comprar            
Foto: Ilustração|Pixabay

Ronald Kers, presidente da 2 Sisters Food Group, a maior vendedora de aves no Reino Unido, disse em entrevista à BBC que o preço do frango, que é uma das carnes mais populares no país, pode vir a aumentar, compensando os custos extras. Entre eles, estão o Brexit, a pandemia, além da falta de mão de obra e problemas de logística.

A 2 sisters Food Group possui 600 fazendas e 16 fábricas por todo o Reino Unido. Kers acrescentou que outros custos inflacionados como embalagens, energia, também foram fatores que aumentaram o preço de outros produtos. Na quarta-feira, o fundador da empresa, Ranjit Boparan, avisou sobre um aumento de 10% no frango. Boparan diz que um frango inteiro custa menos que meio litro de cerveja, e acrescenta que os dias de preços baixos estão chegando ao fim.

O aumento dos custos de CO2 da empresa subiu mais de 500% em 3 semanas, enquanto os custos de energia aumentaram em 450%, comparado ao ano de 2020. Além disso, é dito que os custos da ração em suas fazendas aumentaram em 15%.

Há uma década atrás, o frango no Reino Unido custava 5 libras (cerca R$40), segundo Ronald Kers, preço que ele acha que deveria ter subido, porém, hoje o frango no país custa 3,50 libras. Kers diz que as pessoas que trabalham nas fazendas da empresa estão lutando, já que não há funcionários suficientes assim como nas fábricas, e faltam motoristas de caminhões resultando em prateleiras vazias nos comércios.

O governo do Reino Unido possui agora um esquema de visto para trabalhadores de curto prazo, o que significou para a 2 Sisters Food Group a oportunidade de contratar 700 pessoas a mais para garantir o volume necessário durante o natal. No entanto, Kers diz que esse esquema chegou tarde e com muito pouco tempo.

Mesmo com todos os problemas, Kers ainda aconselha as pessoas a comprarem normalmente. Um terço dos produtos avícolas consumidos no Reino Unido é produzido pela 2 Sisters, processando por semana mais de 10 milhões de aves. A empresa também é responsável pela venda de 60% dos perus no país.

Empresa processa 10 milhões de frango por semana. | Foto: Pixabay/Ilustração

Outro proprietário que se diz preocupado é Rod Adlington, proprietário da Adlington LTD. Foi preciso aumentar o preço dos frangos de sua empresa em 8%, e segundo ele se mudanças não forem feitas a empresa não conseguiria ficar de pé por mais 6 meses. E mesmo aumentando o salário dos funcionários para conseguir lidar com a escassez de mão de obra, ele diz que ainda não há gente suficiente.

Um dos principais fatores para essa confusão na cadeia de abastecimento é a falta de motoristas de caminhão. O governo anunciou no fim de Setembro a liberação de 4.700 vistos para pessoas que dirigissem caminhões poderem entregar comida, mas pode ser que eles levem mais um mês até chegarem ao país.

Esse esquema do governo permite que esses motoristas possam trabalhar no Reino Unido até o dia 28 de fevereiro do ano que vem. Houve preocupação quando esse tipo de visto foi anunciado, devido ao prazo curto mas espera-se que as ofertas atraentes encorajem os motoristas.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo