FINAL FELIZ            

Leão de ‘Joe Exotic’ explorado em videoclipe é levado para santuário

Além de Simba, outros três leões e três leoas que viviam em condições inadequadas foram resgatados pela organização internacional de proteção animal Four Paws            
Simba no santuário (FOTO: FOUR PAWS, BOGDAN BARAGHIN / ZENGER)

O leão Simba, mantido em confinamento no zoológico particular de “Joe Exotic” e explorado em um videoclipe no qual aparece em péssimas condições, foi resgatado junto de outros três leões e três leoas pela organização internacional de proteção animal Four Paws. Todos foram transferidos para o santuário FELIDA Big Cat Sanctuary, onde serão castrados e viverão em condições dignas até o fim de suas vidas.

A transferência foi realizada porque, segundo a instituição, os animais viviam em condições perigosas em um criadouro em Picior de Munte, a 80 quilômetros de Bucareste, na Romênia. Como a maior parte dos leões vivia no mesmo recinto e o ambiente era inadequado, o resgate foi bastante complicado.

“Nossa equipe de veterinários teve que colocar vários leões sob anestesia e ao mesmo tempo a fim de retirá-los”, informou Ioana Gabriela Dungler, diretora do Departamento de Animais Selvagens da Four Paws.

“O tutor anterior mantinha e criava leões na sua propriedade privada legalmente, mas também estava envolvido no tráfico e em maus-tratos para produções de entretenimento. Como ele recusou-se a se separar dos pais dos sete leões resgatados, junto com um filhote recém-nascido, eles tiveram que ficar para trás”, disse a organização.

Leões viviam presos em pequenos recintos (FOTO: FOUR PAWS, BOGDAN BARAGHIN / ZENGER)

“As condições que encontramos eram desafiadoras até mesmo para nossa experiente equipe de resgate, e exigiram medidas de segurança máxima. Quando animais selvagens como grandes felinos são mantidos em gaiolas inadequadas protegidas apenas por uma cerca questionável, a situação de segurança permanece preocupante”, reforçou Dungler.

Antes da operação de resgate, o tutor dos animais havia concordado em entregar todos eles, mas depois voltou atrás e, por isso, a entidade pôde resgatar apenas quatro leões e três leoas. A leoa que permaneceu sob a tutela do homem recebeu anticoncepcional para que a reprodução seja interrompida temporariamente. Com isso, a Four Paws poderá continuar com as negociações para resgatar os animais que restaram.

Explorado em um videoclipe

Explorado para entretenimento humano, Simba ficou famoso após aparecer em péssimas condições, com ferimentos pelo corpo, em um videoclipe de um músico romeno produzido em 2020. Na época, protestos foram realizados e Simba foi resgatado pelas autoridades, mas depois acabou sendo devolvido ao tutor por deter uma autorização para criar leões.

“Simba não pôde juntar-se aos outros leões porque seu pai o rejeitou, e ele foi mantido sozinho em um pequeno recinto. A Romênia proibiu a criação de grandes felinos e outras espécies de animais selvagens em circos em 2017 e a manutenção privada só é permitida com uma autorização especial”, disse Dungler.

Animais viviam em condições inadequadas (FOTO: FOUR PAWS, BOGDAN BARAGHIN / ZENGER)

“Simba é um triste exemplo de milhares de animais selvagens que são explorados e maltratados para o comércio, como entretenimento, na União Europeia e fora dela. Ele agora precisará de cuidados especiais por toda a vida. A Romênia deu passos importantes ao regulamentar a guarda de grandes felinos, mas enquanto os animais estiverem sofrendo e as pessoas privadas tiverem autorização para mantê-los e explorá-los em condições inadequadas, haverá mais trabalho a ser feito”, concluiu a Four Paws.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo