MAUS-TRATOS            

Cães magros e doentes são resgatados após serem explorados para venda

Os animais explorados pelo criador viviam trancados em espaços sujos, com fezes e urina. Além disso, todos passavam fome e não tinham água à disposição            
Foto: Divulgação/ ONG Latidos e Miados

A Polícia Militar (PM) resgatou 30 cachorros que eram explorados para reprodução e venda em um canil clandestino que funcionava na zona rural de Sales Oliveira, no interior de São Paulo. A operação de resgate, realizada na quarta-feira (20), contou com o apoio da Polícia Civil.

O canil foi descoberto durante uma operação voltada ao combate a furtos realizados na região. Os policiais cumpriam mandados de busca e apreensão quando se depararam com os cães em condições de maus-tratos.

De acordo com a Polícia Militar, o canil funcionava em um sítio localizado nas proximidades de um pedágio. Os animais explorados pelo criador viviam trancados em espaços sujos, com fezes e urina. Além disso, todos passavam fome e não tinham água à disposição.

No local foram encontrados cachorros de raças como buldogue, pit bull e pug, frequentemente comprados por pessoas que alimentam esse comércio que objetifica seres vivos e os condena a maus-tratos.

Além dos maus-tratos impostos a todos os cães, parte deles também suportava sol e chuva, já que eram mantidos em espaços sem proteção contra as condições climáticas.

Foto: Divulgação/ ONG Latidos e Miados

Durante a operação policial, um homem adentrou o sítio e se identificou como morador do local. Ao ser questionado pelos agentes, ele admitiu ser tutor dos animais. E embora tenha sido preso em flagrante por suspeita de maus-tratos, ele responderá em liberdade pelo crime.

Acionados pelos policiais, funcionários da Vigilância Sanitária Municipal e uma médica veterinária estiveram no sítio e fizeram a transferência dos cachorros, que foram retirados do canil e levados para a sede da ONG Latidos e Miados.

Após receberem cuidados iniciais, os cães foram abrigados. Parte deles já foram adotados. Outros 15 seguem em tratamento em lares temporários, mas também aguardam adoção responsável.

Não compre, adote

A exploração de animais para venda é uma prática cruel que objetifica cães e gatos, reduzindo-os à condição de mercadorias. Por serem tratados como objetos, esses animais são alvos frequentes de maus-tratos, situação que só poderá ser coibida com o fim do comércio.

Engajados na luta em prol dos animais, ativistas incentivam a adoção e pedem que a sociedade se conscientize sobre a necessidade de abolir a venda de cachorros e gatos. Os protetores de animais explicam que, ao comprar um animal, o comprador não só compactua com a objetificação de um ser vivo, como incentiva o comércio como um todo, incluindo o que é feito pelos criadores que negligenciam e maltratam os animais.

Enquanto milhares de animais são comprados Brasil afora, outros milhões padecem nas ruas. De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), 30 milhões de animais vivem em situação de rua no país. Sem cuidados, eles passam fome e sede, sofrem com o calor, o frio e as chuvas, adoecem e agonizam até a morte por conta de doenças e de atropelamentos. Também são vítimas de agressões e até de estupros. Frágeis e inocentes, o pedido que eles fariam, caso pudessem falar, seria: não compre, adote um animal abandonado.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo