REENCONTRO            

Cão desaparecido há 7 meses chora ao rever tutores: ‘Parecia pedir desculpas por ter fugido’

Papito, como é chamado o cachorro, reconheceu os tutores assim que os viu e não pensou duas vezes antes de correr para os braços do casal            
Foto: Carolina Sousa / Arquivo Pessoal

Após sete meses desaparecido, o cão Papito finalmente voltou para os braços de seus tutores. Preocupados com o animal, o casal temia que ele estivesse morto, mas não perdia a esperança de revê-lo. No sábado (16), a angústia e a saudade finalmente chegaram ao fim e a família, que mora em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, pôde se reunir novamente.

Sem raça definida, o cachorro adotado pelo casal foi encontrado no bairro Monte Líbano, a cerca de 15 quilômetros do Nova Campo Grande, onde desapareceu. A fuga aconteceu no dia 2 de março após o cão tomar banho e tirar a coleira de identificação que usava. No dia, os tutores fizeram buscas e publicações nas redes sociais, mas não conseguiram localizar Papito, que tem cerca de dois anos e meio de idade.

“Ele foi um presente para o meu namorado, sempre fugia quando conseguia, mas sempre estava com a coleira de identificação e, como os vizinhos o conheciam, ele voltava pra casa. Até pra São Francisco Padroeiro dos animais eu rezava. Já sonhamos com ele diversas vezes e agora, finalmente, ele voltou”, contou ao G1 a estudante de biomedicina Carolina Sousa, de 37 anos.

“Meu namorado já havia cogitado a possibilidade dele estar morto, por conta da leishmaniose que ele tem e precisar constantemente de medicamentos para evitar as feridas e aumentar a qualidade de vida dele. Não tinha como ele ficar sem estes remédios e, como estava sem, ele achava que já estaria morto”, completou.

Mas Papito estava vivo. Encontrado pela funcionária pública Vanessa Mansano durante a tempestade ocorrida na última sexta-feira (15) em Campo Grande, ele foi acolhido e protegido após aparecer em frente ao portão de sua casa.

“Ele estava todo se tremendo, magrinho e com frio. Na hora eu não pensei duas vezes, sou apaixonada por animais, recolhi ele, sequei, dei comida e, no dia seguinte, acabei levando ele para tomar banho em uma pet shop e logo em seguida divulguei nas redes sociais”, contou Vanessa, que decidiu, no momento em que viu o cachorro, que não o deixaria desabrigado nem mesmo se a família dele não aparecesse para buscá-lo. “Não sei como, mas ficaria com ele. Acredito que ele estava no meu portão por algum propósito”, disse.

E foi a publicação da funcionária pública nas redes sociais que trouxe de volta a felicidade para a casa da família de Papito, que o reconheceu nas fotos divulgadas. No entanto, por se preocupar com o cão, Vanessa só o devolveu após ter certeza que ele era tutelado pelo casal, que mostrou fotos de Papito e mencionou que ele tinha um olho de cada cor.

Foto: Carolina Sousa / Arquivo Pessoal

Ansiosos para rever o animal, os tutores foram até a casa de Vanessa na noite de sábado e assim que chegaram no local, foram imediatamente reconhecidos pelo cão. “Foi emocionante, porque meu namorado chorava e nosso cachorro parecia chorar também, como se pedisse desculpas por ter fugido e não ter retornado para casa”, relembrou Carolina.

De volta ao lar, Papito recebeu as medicações das quais faz uso contínuo e matou a saudade dos tutores, dos quais não tem saído de perto nem mesmo na hora de dormir.

“Algum propósito ele tem na minha vida ou daquela família. Ele desapareceu no Nova Campo Grande e apareceu aqui no Monte Líbano, sozinho, aparentemente bem e sem sequelas da doença. Antes de ir embora, ele pulou no meu colo e me fez um carinho, como um despedida e um agradecimento. Foi emocionante, fiquei feliz por ter ajudado e mais ainda por ele ter voltado pra casa. Sem amor não há esperanças, o amor cura tudo”, concluiu a estudante.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo