SOFRIMENTO            

Cão morre asfixiado após ficar cerca de 7 horas no compartimento de carga de voo da Latam

           
Foto: Reprodução | Instagram

Apenas algumas semanas após a morte do cãozinho Zyon, transportado no compartimento de carga de um voo da Latam que saiu de São Paulo com destino ao Rio de Janeiro, a companhia área é responsável pela morte de mais um animal. O cachorro Wiser, da raça american bully, foi obrigado a ficar sete horas em uma pequena caixa de transporte no setor de cargas de um voo com destino a Aracaju (SE). O animal morreu asfixiado, sozinho e em sofrimento profundo.

A denúncia foi feita pela tutora do cachorro, a nutricionista Giulia Conte, na última quinta-feira (14), que desabafou sobre o ocorrido e uma série de stories. Ela conta que já viajou com Wiser na cabine, junto aos passageiros, mas nas últimas vezes foi impedida pela companhia aérea e obrigada a transportar o animal no setor de cargas, junto às bagagens. Apesar do voo só decolar às 12h30, o cão foi mantido preso desde às 08h da manhã.

Foto: Reprodução | Instagram

Ela afirma que o animal ficou estressado por estar preso em uma caixa pequena. Quando o voo aterrissou em Aracaju, Wiser estava sem vida. A Latam informou que o animal morreu em decorrência da alta temperatura. Um laudo veterinário aponta que o cachorro se asfixiou após roer o kennel de madeira (a caixa de transporte) onde estava sendo mantido aprisionado, em uma clara tentativa de fugir em desespero. “Ele ficou agonizando lá”, disse a tutora.

A Latam usou as redes sociais para tentar justificar a morte do animal e afirmou que suspenderá viagens com animais nos próximos 30 dias, pois companhia área irá rever as normas de transportes de animais para evitar novos acidentes. A tutora de Wiser disse que buscará justiça e lamenta que a companhia área tem um triste e deplorável histórico de mortes de animais. “Até quando vidas vão ser desperdiçadas assim?”, questiona.

Nota da Redação: é irresponsável e negligente que companhias áreas continuem transportando animais no setor de carga como se fossem objetos diante da quantidade dantesca de casos de mortes de animais por hipertermia e asfixia. Assim como crianças, animais precisam viajar ao lado de seus tutores, de forma tranquila e segura. Esperamos que a Latam e todas as companhias áreas se conscientizem sobre o bem-estar animal e proibiam definitivamente essa prática.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo