CRUELDADE            

Polícia resgata 26 galos explorados em rinhas em São Mateus (ES)

           
Crédito G1 — Foto: Divulgação/PMA

No último domingo (10), a Polícia Militar Ambiental fechou uma rinha de galos em São Mateus, na comunidade de Córrego Sapucaia, no Norte do Espírito Santo.

Os policiais chegaram ao local após uma denúncia anônima, no momento em que a rinha de galos estava acontecendo, de acordo com o capitão Fabrício, comandante da 3ª Companhia do Batalhão de Polícia Militar Ambiental.

“Algumas pessoas fugiram, mas os policiais conseguiram deter 11 pessoas. Estavam ocorrendo embates entre os galos e um galo estava morto no local. Também foram apreendidos vários apetrechos utilizados para esse tipo de atividades”, contou o policial em entrevista ao G1.

Os policiais resgataram 25 galos vivos, um galo morto e um pássaro silvestre da espécie coleiro. Na casa do proprietário do local da rinha, foi encontrado um rifle calibre 22.

Crédito G1— Foto: Divulgação/PMA

Entre os objetos apreendidos estavam uma sacola com maconha, um triturador para drogas, remédios, seringas, tesoura, dois rolos de esparadrapo, uma bucha de couro, um recipiente com esporas artificiais, uma serra para corte de espora e duas biqueiras de couro.

Segundo o capitão, esses objetos eram usados para mutilar e tosar as aves. Onze pessoas foram detidas na operação e levadas para a Delegacia Regional de São Mateus.

Recentemente, o Supremo Tribunal Federal (STF) aprovou a Lei 9.605/1998, que determina a proibição do assassinato de animais silvestres ou domésticos resgatados em situação de maus-tratos.

 

 

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo