MAUS-TRATOS            

Traficantes estão enviando orangotangos bebês em caixas por empresas de entrega

           
Foto: Ilustração | Pixabay

Um traficante de animais teve a opção de ter a pena reduzida em troca de trabalhar disfarçado para ajudar autoridades ambientais a prender mais caçadores. Ele recebeu o codinome de “Arif” e detalhou como o trafico de bebês orangotangos é realizado. Ele conta que faz contato com os caçadores pela internet e assim que os filhotes são retirados de suas mães, que muitas vezes são mortas tentando protegê-los, ele são enviados em uma caixa e despachados em caixas misturados a bagagens comuns em ônibus de viagens.

Esses veículos raramente são vistoriados e se tornaram a principal ferramenta dos traficantes para o sequestro e venda dos animais. Arif conta que muitas vezes os animais também são enviados em serviços de entregas de mercadorias junto a produtos comuns. Os animais ficam dias presos a caixas de papelão lacradas sem acesso à água ou à comida. Muitos não sobrevivem e chegam mortos à casa dos compradores. A espécie está criticamente ameaçada de extinção. Os filhotes são o principal alvo por serem menores e mais vulneráveis.

Foto: Ilustração | Pixabay

O traficante de animais conta ainda que era frequentemente contatado por caçadores desconhecidos que já tinha capturado filhotes e pediam ajuda para vendê-los para fora da Indonésia. Arif evitava fazer perguntas sobre o origem dos animais e procurava compradores o mais rápida possível para receber sua parte do dinheiro. Ele nunca procurou saber o que acontecia com os animais após o fechamento da transação e entrega do animal ao destinatário.

Os filhotes sequestrados e separados de suas mães têm geralmente cerca de 10 meses de vida. Arif conta que se não tivesse sido preso, provavelmente, continuaria traficando animais, porque os lucros eram muito grandes. “Agora me sinto muito triste quando bebês orangotangos são tirados de suas mães. Às vezes, a mãe deve ser morta primeiro para que ela possa ser separada dos braços de seu filho pequeno. Uma vez eu percebi, por que sou tão cruel?”, ele disse durante o julgamento.

Atualmente, há menos de 100 mil orangotangos vivendo em liberdade na natureza. Cientistas estimam que, em razão do desmatamento e da caça, a espécie desaparecerá do planeta em poucas décadas.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo