NECROESTADO            

Investigação revela a relação entre o aumento da caça de javalis e o aumento da compra de armas

           
Foto: Divulgação/ Federação da Agricultura do Paraná

Uma reportagem investigativa do Fantástico no último domingo (19), e noticiada no G1, analisou a denúncia da caça ao javali, que segundo especialistas, está sendo utilizada como pretexto para grupos se armarem inclusive com fuzis. 

Considerando a flexibilização do acesso a armamentos, um símbolo marcante do governo Bolsonaro, o número de caçadores aumentou. Este número crescente de portadores de arma em contexto de caça pode, segundo especialistas, representar um risco. 

Ainda que a lei proíba a caça no Brasil, o javali é a única exceção. Importante ressaltar que há limitações quanto à caça deste animal, podendo esta ser apenas a de manejo, ou seja, a morte para evitar a reprodução de javalis e a destruição das plantações. Este manejo ainda deve ser feito sem maus-tratos. 

Ainda que a caça do animal deveria ser apenas a de manejo, a apuração do Fantástico de dois meses descobriu uma realidade bem diferente da prevista na lei, e de alto risco.

O manejo do javali foi autorizado pelo Ibama em território nacional em 2012, sendo ele permitido devido ao risco de transmissão de doenças e a partir de relatos de agricultores quanto aos impactos negativos dos javalis nas plantações, que consomem elas (especialmente as plantações de milho e soja). 

Porém, a liberação do abate de javalis, com o objetivo de diminuir esta população, não vem correspondendo com os números crescentes do animal. Ainda em 2016, existia javali em 563 municípios, segundo o Ibama. Em 2019, o número quase triplicou: o animal estava presente em 1.536 municípios, em maior parte nas regiões Sul e Sudeste. 

Estudos indicam que a velocidade de expansão do javali no Brasil é 11 vezes maior do que a do Uruguai, por exemplo. Este aumento muito destoante mostra que possivelmente há intenção para o aumento destes animais.

Não se sabe estatisticamente a quantidade de javalis no Brasil, ou os impactos negativos que causam, mas há uma unanimidade de especialistas quanto a necessidade de controle da população de javalis no país, e o problema base pode estar sendo o uso da caça de javalis como pretexto para compra de armas. 

Segundo o Fantástico, em parceria com o G1, foram emitidos pelo Exército, entre janeiro de 2019 e agosto deste ano, 193.539 certificados de registro de caçador, o chamado CR. Em relação ao mesmo período entre 2016 e 2018, o aumento chega a 243%. 

E ainda, apenas este ano até agosto, foram 75.289 emissões de certificados de caçador, número maior que os registrados nos cinco anos anteriores. Atualmente, são 250 mil caçadores legalizados no Brasil.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo