ENCALHE            

Baleia-jubarte é encontrada morta em praia no Rio de Janeiro

Exames de necrópsia realizados por uma equipe do Laboratório de Mamíferos Aquáticos e Bioindicadores (MAQUA) devem apontar a causa da morte da baleia            
Foto: Comlurb

Uma baleia-jubarte foi encontrada morta na praia do Leblon, no Rio de Janeiro. O corpo do animal, localizado na manhã do último sábado (18), estava ao lado do Canal do Jardim de Alah.

Técnicos do Laboratório de Mamíferos Aquáticos e Bioindicadores (MAQUA), da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), estiveram no local e colheram amostras do corpo da baleia para a realização de exames de necrópsia que poderão atestar a causa da morte.

Após a coleta, o corpo foi retirado da praia por funcionários da Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb). Dez garis recolheram a baleia usando uma escavadeira, um trator esteira, um caminhão basculante e uma pá carregadeira.

Embora muitas baleias sejam enterradas na areia das praias onde encalham, neste ano o corpo do animal foi encaminhado para o Centro de Tratamento de Resíduos (CTR-Rio), em Seropédica. Em um ato de desrespeito à dignidade animal, a jubarte teve como destino o mesmo local para onde é levado o lixo produzido pelos moradores do Rio de Janeiro.

Baleias-francas são ameaçadas pelas mudanças climáticas

O aquecimento causado pela mudança climática no Golfo do Maine resultou na diminuição da população das baleias-francas do Atlântico do Norte, tornando a espécie criticamente ameaçada e deixando conservacionistas desesperados por salvaguardas, de acordo com um estudo publicado essa semana no jornal Oceanography.

As baleias-francas são conhecidas por procurar por crustáceos gordurosos no Golfo do Maine. Mas na última década a água por lá tem aquecido mais rápido do que 99% do resto dos oceanos, e o principal alimento das baleias, que cresce em água gelada, deteriorou-se.

O resultado – baseado em uma análise de anos de plâncton, aparições de baleias-francas e as mudanças nas temperaturas do oceano – foi que a espécie agora migra do nordeste do Golfo de St Lawrence, no Canadá, para buscar por comida, e houve um enorme declínio no número de baleias fêmeas reproduzindo.

O que fazer ao encontrar animais marinhos?

Especialistas reforçam que não se deve tentar resgatar, em hipótese alguma, animais marinhos vivos ou mortos encontrados em praias brasileiras. Nestes casos, o recomendado é isolar o local, manter cães e gatos longe do animal encalhado e acionar um serviço especializado.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo