PANTANAL            

Vaca e bezerro buscam água para beber e ficam presos na lama de lago que secou

Os animais foram resgatados após mais de 24 horas atolados na lama            
Foto: Reprodução

Uma vaca e um bezerro ficaram presos na lama enquanto tentavam encontrar água para beber em Poconé, a 103 quilômetros de Cuiabá, no Pantanal de Mato Grosso. Vítimas da seca rigorosa enfrentada pelo país, eles ficaram mais de 24 horas submersos na lama e foram salvos na segunda-feira (13).

De acordo com o historiador e jornalista Walney Rosa, que acompanhou o caso, a região tem sido procurada por animais sedentos que, em meio à forte estiagem, caminham em busca de água.

“Essas áreas eram lugares de banhado, os animais estão procurando água, mas não encontram. Precisamos de chuva para melhorar a situação”, explicou ao G1.

No caso do bezerro e da vaca atolados, uma equipe de resgate foi mobilizada para salvar a vida da dupla, que poderia morrer de inanição caso permanecesse no local, sem acesso à água e à comida. De acordo com Walney, o resgate foi realizado após os animais serem avistados por uma equipe do Corpo de Bombeiros que sobrevoava a região.

O voo era realizado como forma de prevenção a novos focos de incêndio, já que o Pantanal tem sido alvo frequente de queimadas desde o ano passado, quando incêndios sem precedentes foram registrados no bioma, matando milhões de animais.

Numa tentativa de localizar os tutores do bezerro e da vaca atolados, os bombeiros acionaram o Sindicato Rural. A Defesa Civil também foi chamada por um motorista que passava pela região e viu os animais em apuros.

“Mesmo não sendo atribuição do poder público, pelo fato dos animais serem de uma propriedade particular, a equipe da Defesa procurou verificar o problema e logo foi informada que os tutores já haviam prestado o devido socorro”, disse Walney.

O acidente aconteceu nas proximidades do Rio Bento Gomes, em uma propriedade rural às margens da Rodovia Professora Chiquinha, a aproximadamente 17 quilômetros de distância da zona urbana de Poconé.

Segundo Walney, há anos não se registrava casos como esse na região, com as últimas ocorrências de animais atolados em busca de água tendo sido registradas entre 2011 e 2012, quando uma forte seca atingiu o município.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo