SOFRIMENTO            

Guardas matam coiote após acidente envolvendo criança nos Estados Unidos

O coiote foi morto após morder uma criança que sofreu apenas ferimentos leves            
Foto: Reprodução/Pixabay/Imagem Ilustrativa

Um coiote foi morto em Massachusetts, nos Estados Unidos, após morder uma criança em uma praia em Cape Cod. Vítima da urbanização e dos hábitos humanos que aproximam animais silvestres da população, o coiote perdeu sua vida após ser baleado por guardas florestais.

Embora o acidente tenha ocorrido na última quarta-feira (12), o caso só foi divulgado pelas autoridades locais nesta semana. De acordo com a revista People, a criança foi socorrida e levada ao hospital. Apesar dela não ter sofrido nenhum ferimento grave e de não ter sido detectado contágio por raiva no animal silvestre, o coiote foi assassinado.

Conforme relatado pela Guarda Florestal, os animais silvestres têm seu comportamento alterado por conta dos hábitos humanos e, com isso, acabam se aproximando das pessoas. Essa mudança comportamental “começa com as pessoas alimentando os coiotes intencionalmente, deixando comida fora, ou inadvertidamente, não removendo restos de comida e embalagens da praia”.

De acordo com um comunicado divulgado pelo órgão, os hábitos humanos cometidos de maneira equivocada fazem “com que os animais se habituem” com a presença das pessoas “e ousem na tentativa de obter comida”. A Guarda Florestal mencionou ainda que quando os animais selvagens perdem o medo das pessoas, “eles se comportam de forma imprevisível” e, com isso, podem ocorrer acidentes.

Nesses casos, os animais correm o risco de pagar com a vida pelas ações humanas. Sem habitat, eles sofrem com o desmatamento e a expansão urbana e, depois, acabam envolvidos em acidentes quando buscam por abrigo e alimento. Nessas ocasiões, os animais podem se tornam vítimas do despreparo das autoridades, como aconteceu com o coiote.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo