AUSTRÁLIA            

Gatinhos cegos sobrevivem nas ruas apoiando um ao outro

           
Foto: Inner City Strays

Uma moradora da cidade de Sydney, na Austrália, encontrou em seu quintal dois gatinhos em situação de rua, aparentemente irmãos, “escondidos” debaixo dos arbustos de seu quintal.

Ela decidiu alimentá-los, mas após um exame mais apurado, ela percebeu que ambos os gatos sofriam de problemas nos olhos e decidiu levá-los ao veterinário.

Os gatinhos, que foram chamados de Isaac e Stevie, tinham cerca de três semanas e nasceram com as pálpebras gravemente deformadas, impactadas por uma condição em que os cílios se voltam para dentro, esfregando as pupilas.

O pequeno Isaac tinha úlceras nos olhos e Stevie estava completamente cego. Os veterinários do SASH e do Hospital Veterinário Balmain afirmaram que era necessário uma cirurgia emergencial, dada as altas chances de desenvolvimento de infecções.

Foto: Inner City Strays

A moradora entrou em contato com vários abrigos locais, finalmente conseguindo o apoio de Diana Dammery, do abrigo Inner City Strays, para o custeamento dos tratamentos médicos necessários.

Os olhos cegos foram removidos e uma pálpebra foi reconstruída para proteger o olho saudável de Isaac.

Ambos foram adotados por um casal amoroso e agora são chamados de Buda e Mogwai.

Apesar da perda de visão, os gatos conseguem viver normalmente, graças ao desenvolvimento acentuado de seus outros instintos, como olfato e audição, afirma o Histórias com Valor.

Buda e Mogwai vivem uma vida feliz e saudável com seus novos donos há mais de um ano, do jeito que deve ser.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo