AMOR            

‘Eles nos escolheram’, diz policial sobre cães adotados que ganharam casinha

As casinhas de madeira de apreensão foram construídas por 14 detentos de um presídio            
Foto: TVCA/Reprodução

Belinha e Chupeta, dois cachorros adotados há anos por policiais de Mato Grosso, ganharam uma casinha de madeira construídas por detentos do Centro de Ressocialização de Sorriso. O objetivo é dar mais conforto para a dupla, que é cuidada com muito carinho pelos agentes.

Os cachorros vivem em uma unidade da Polícia Rodoviária Federal (PRF) desde que foram adotados. Agora, poderão usufruir da casinha construída com madeira apreendida em ações da própria PRF. O abrigo foi feito por 14 detentos a pedido dos agentes.

“O Chupeta está com a gente desde 2016 e a Belinha desde 2015. Lá se vai meia década de amizade e de companheirismo. Todos os policiais dão sua parcela de contribuição para cuidar dos animais. Nós não escolhemos eles, eles nos escolheram”, disse ao G1 o chefe da PRF, Leonardo Ramos.

Foto: TVCA/Reprodução

De acordo com o diretor do Centro de Ressocialização de Sorriso, Edilson de Castro, uma adaptação foi realizada na unidade prisional para montar a marcenaria na qual parte dos detentos trabalham. No projeto da casinha, que foi pintada com as cores da polícia e recebeu as iniciais “PRF”, os presos receberam a madeira, doada para o Centro de Ressocialização pela PRF após uma apreensão.

“Surgiu a ideia de adaptar o espaço do CRS numa marcenaria e desde então a gente vem recebendo doação de madeira para a capacitação e recuperação dos reeducandos”, afirmou Castro.

Os detentos que trabalham na marcenaria tem um dia de pena reduzida a cada três dias trabalhados. Além disso, os projetos realizados também beneficiam causas sociais, como é o caso dos cães adotados pela PRF.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo