OPERAÇÃO POLICIAL            

Chinchila, tartaruga, coelho, aves e cães são salvos após maus-tratos em MG

As autoridades suspeitam que os animais tenham sido vítimas de uma mulher com transtorno de acumulação            
Foto: Polícia Civil/Divulgação

A Polícia Civil (PC) resgatou uma chinchila, uma tartaruga-tigre-d’água, um coelho, quatro calopsitas, seis periquitos-australianos e três cachorros em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais, após os animais serem encontrados em condições de maus-tratos. O resgate, que integra as ações da Operação Arca de Noé, foi realizado na manhã de terça-feira (3).

Os animais foram encontrados em um imóvel onde vive uma mulher de 62 anos. A suspeita das autoridades é de que a idosa, que não teve sua identidade revelada, tenha transtorno de acumulação.

Dentro da residência, os 16 animais encontrados viviam em péssimas condições de higiene, em ambiente insalubre que colocava a integridade física e mental de cada um deles sob ameaça constante. Presos no local, eles viviam em meio a vários objetos acumulados. A idosa também vivia nessas condições.

Encaminhada ao plantão da Delegacia Regional, a mulher prestou depoimento à Polícia Civil e, em seguida, foi liberada. O caso dela, porém, continuará sendo acompanhado pelas autoridades. Para buscar ajuda, a PC acionou o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), que deve agir em relação ao aparente transtorno mental da mulher.

A ação realizada pela Polícia Civil foi coordenada pela delegada regional Elisa Moreira Caetano Ribeiro de Lima e contou com o apoio do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ).

O transtorno de acumulação é um distúrbio de caráter psicológico que tem como característica a necessidade de promover o acúmulo, com extrema dificuldade de descartar o objeto de posse do acumulador. Há casos de pessoas que acumulam objetos e vivem, inclusive, em meio à bagunça e sujeira, e de acumuladores de animais.

Esse acúmulo, porém, em nada se compara com o caso de colecionadores que guardam objetos de maneira mentalmente saudável. No caso do acumulador, os itens ficam sempre desorganizados e atrapalham a vida da pessoa, tanto no quesito do espaço, que se torna inabitável, quanto em relação ao convívio social.

É comum que familiares e amigos de acumuladores relatem dificuldades de lidar com o acumulador, já que pessoas com esse transtorno só conseguem vencer barreiras e transformar as próprias vidas com a ajuda de psicológicos e psiquiatras.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo