INVERNO            

Frio intenso causa sofrimento e pode matar animais em situação de rua

Para que tenham suas vidas salvas, os animais abandonados dependem da caridade de pessoas que se sensibilizam com a situação crítica vivida por eles            
Foto: Pixabay

A onda de frio extremo que chegou ao Brasil, reflexo das mudanças climáticas, pode causar mortes não só de pessoas, mas também de animais, especialmente daqueles que vivem em situação de rua e não têm meios de se esquentar.

As previsões do tempo apontam para a possibilidade da sensação térmica na Região Sul chegar a -25°C. Na madrugada da última quarta-feira (28), houve a ocorrência de neve e de chuva congelada na divisa entre o estado do Rio Grande do Sul com o Uruguai. Em Santa Catarina, os termômetros marcaram -7,8°C durante o amanhecer no município de Bom Jardim da Serra

E embora as temperaturas mais baixas estejam sendo registradas no Sul do Brasil, há registros de frio intenso em várias regiões do país. Em Araraquara, no interior de São Paulo, há previsão da Somar Metereologia para a chegada de uma frente fria que pode levar à sensação térmica negativa até o final de semana, com possibilidade dos termômetros marcarem 3°C na sexta-feira (30), com sensação térmica de -2°C. Há também previsões de geada para vários municípios do estado paulista.

Enquanto ações são realizadas pelo poder público para acolher pessoas em situação de rua, pouco é feito em prol dos animais abandonados, que dependem da solidariedade da população. Em muitas cidades, as prefeituras sequer têm políticas públicas voltadas à causa animal.

Em Araraquara, o protocolo de recolhimento de animais abandonados estabelecido pela administração municipal não inclui animais saudáveis. Isso porque, segundo a prefeitura, não há locais suficientes para abrigar toda a população de cães e gatos em situação de rua.

Em entrevista ao portal A Cidade ON, a coordenadora de Bem-Estar Animal, Carol Mattos Galvão, fez um apelo à população de Araraquara para que cada morador ajude a proteger do frio animais que vivem no entorno de sua residência.

“O ideal é sensibilizar a população de forma geral para que as pessoas coloquem uma casinha na frente da casa, uma cobertinha, doem uma roupinha para o animal de rua, coloquem uma caixa de papelão ou acolham, colocando na garagem”, pontuou.

Dentre as ações que podem ser realizadas pelos moradores, está ainda o oferecimento de ração e água para os animais. Isso porque, além de amenizar a fome e a sede, os moradores que tomarem essa atitude ajudarão os animais a manterem o próprio organismo mais saudável e resistente para combater os problemas de saúde decorrentes do frio, já que em dias de baixa temperatura o gasto calórico para manter o corpo funcionando em boas condições é maior do que no calor.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo