ATROPELAMENTOS            

Governo do MS propõe ações para combater alta mortandade de animais em rodovias

Por mês, de 45 a 50 animais são encontrados mortos em rodovias estaduais e federais que passam pelos municípios de Bonito e Aquidauana            
Foto: Ronaldo Balla/TV Morena

A alta mortandade de animais em rodovias estaduais e federais que passam pelos municípios de Bonito e Aquidauana, no estado de Mato Grosso do Sul, levou o governo estadual a firmar parceria com instituições da sociedade civil e com a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) para propor ações que reduzam o número de animais mortos em atropelamentos na região.

Em cerca de 600 quilômetros de estadas monitoradas, são registradas cerca de 45 a 50 casos de animais mortos por mês em decorrência de acidentes de trânsito. Os dados, da Secretaria de Infraestrutura do Governo do Estado (Seinfra), refletem a difícil realidade da fauna local, que vive em uma região que detém boa parte da vegetação conservada, mas é cortada por rodovias.

Desenvolvido desde 2016 em parceria com a UEMS, o programa “Estrada Viva” deve auxiliar o projeto iniciado pelo governo do estado. Através do programa, são catalogadas espécies atropeladas e os pontos onde os acidentes ocorreram são identificados para que medidas preventivas sejam propostas.

Recentemente, com o objetivo de discutir ações relacionadas ao programa, o secretário de Estado de Infraestrutura, Eduardo Riedel se reuniu com representantes de ONGs ambientalistas e de proteção animal que atuam em defesa da fauna e flora da região da Serra da Bodoquena, em Bonito.

Entre as medidas que devem ser executadas, está a implementação de passagens superiores para o trânsito de animais silvestres e a instalação de cercas nas laterais das pontes que passam sobre os rios Formoso e Formosinho. Um aplicativo denominado “Estrada Viva” também está sendo desenvolvido e deve ser usado para alertar motoristas sobre acidentes na rodovia. Através do aplicativo, a testemunha do atropelamento de um animal poderá registrar o caso, comunicando as autoridades e acionando imediatamente uma equipe para realizar o resgate, o que beneficia o animal e evita outros acidentes.

De acordo com informações da Seinfra, quando o aplicativo estiver em funcionamento, o projeto passará a contar com dois médicos veterinários para socorrer os animais atropelados. Também estão sendo realizadas tratativas, ainda segundo a secretaria, para a construção de uma sede para o projeto em Bonito, onde seriam mantidos profissionais que atuariam no serviço de resgate.

Existe ainda a possibilidade de intensificar o monitoramento nas rodovias MS-040, MS-382 e MS-345 com o objetivo de aumentar o levantamento de dados e, por consequência, alcançar mais eficiência nas ações.

“Teremos todos os elementos necessários para mitigar, de fato, os acidentes nas estradas que envolvem animais. Não podemos terminar um projeto sem isso. Vai além de Bonito e da Serra da Bodoquena, vamos ampliar para todo o estado. Busca-se adotar uma política de empreendimentos viários sustentáveis, com proteção de fauna e segurança de pessoas”, afirmou ao G1 o secretário de Estado de Infraestrutura.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo