CARIACICA (ES)            

Mulher obriga gato a comer pimenta como “castigo”

           
Reprodução

Um gato foi resgatado na última terça-feira (20) por integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Maus-Tratos da Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales) e por fiscais da Prefeitura de Cariacica, na Grande Vitória, depois de ser forçado a comer carne com pimenta.

O vídeo que anda circulando pelas redes sociais registra algumas mulheres segurando o animal com a barriga para cima. Uma delas usa uma faca para abrir a boca do animal e obriga ele a comer a carne com pimenta.

Em um determinado momento, a mulher ainda passou o alimento apimentado no olho do gato. A ação seria uma tentativa de punir o animal por ter pegado a comida sem permissão. De acordo com a CPI, as imagens foram feitas em maio e, por isso, não foi possível prender a tutora dos animais em flagrante.

A equipe de fiscalização da Gerência de Monitoramento Ambiental da Prefeitura de Cariacica constatou que, apesar de não ser flagrante, houve maus-tratos e a multou em R$ 500.

Divulgação | Janete de Sá

Esse caso foi encaminhado para a Delegacia de Meio Ambiente, e a Polícia Civil ainda informou que está investigando o caso. O crime de maus-tratos contra cães e gatos é previsto em lei e tem pena que varia entre dois e cinco anos de prisão.

Na residência, os membros da CPI e os fiscais ainda recolheram outros três gatos. Os quatro animais foram encaminhados para o Rancho Bela Vista, também no município, onde receberão atendimento médico veterinário e serão colocados para adoção.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo