DESESPERO            

Cachorro persegue veículo após ser abandonado por tutor em SC

Desesperado, o cachorro se nega a ficar longe do tutor e começa a perseguir o veículo. Mas logo desiste ao perceber que não conseguiria alcançá-lo            
Foto: Divulgação/ND

Um cachorro deu uma verdadeira prova de amor e lealdade ao perseguir o veículo de seu tutor logo após ser abandonado na rua.

A cena comovente aconteceu no município de Barra Velha, em Santa Catarina, e foi registrada por câmeras de segurança. Divulgadas na internet, as imagens geraram revolta entre os internautas.

Registrado no último domingo (4), o vídeo mostra o momento em que o motorista expulsa o cachorro do veículo e o deixa em uma rua do bairro Quinta dos Açores. Em seguida, o antigo tutor do animal sai com o veículo ainda com a porta aberta e vai embora.

Desesperado, o cachorro se nega a ficar longe do tutor e começa a perseguir o veículo. Mas logo desiste ao perceber que não conseguiria alcançá-lo.

Um morador do bairro que flagrou o registro do abandono ao verificar as imagens da câmera de sua casa decidiu intervir e resgatar o cachorro. Depois de ser acolhido pelo homem, o cachorro foi disponibilizado para adoção e já encontrou um novo lar.

O caso foi denunciado às autoridades e um boletim de ocorrência foi registrado em uma delegacia de Polícia Civil. A placa do carro já foi identificada pelos investigadores, que agora se esforçam para identificar o motorista e localizá-lo.

Lei Sansão

Sancionada no final de 2020, uma nova lei de proteção animal aumentou a pena para crimes cometidos contra cachorros e gatos no Brasil. Antes, esses crimes eram punidos com, no máximo, um ano de detenção, pena que era convertida em alternativas como a prestação de serviços à comunidade.

A legislação recebeu o nome de “Lei Sansão” em homenagem ao pit bull Sansão, que foi brutalmente torturado em Minas Gerais, tendo as duas patas traseiras decepadas. Paraplégico, ele não apenas se recuperou e provou o quão forte é capaz de ser, como serviu de incentivo para a aprovação da lei.

Com o aumento da pena, os criminosos que submeterem cachorros e gatos a maus-tratos poderão ser presos por um período de dois a cinco anos. Eles também poderão ser punidos com multa e com a proibição de tutelar outros animais.

A medida, no entanto, não protege os animais de outras espécies, excluindo do amparo jurídico a fauna silvestre e os animais que são explorados pela sociedade, como galos, porcos, bois e galinhas. Frequentemente explorados para reprodução e venda, esses animais são alvo de uma série de maus-tratos e, no caso daqueles que são alvo da agropecuária, a matança é autorizada, o que impede que eles tenham o direito à vida e à integridade física respeitado. Caso a lei entenda que foram maltratados, o crime contra essas espécies é punido com até um ano de detenção, além de multa. No entanto, a pena pode ser substituída por uma alternativa como a prestação de serviços à comunidade. Essa substituição ocorre porque esses crimes são considerados de menor potencial ofensivo pelo ordenamento jurídico.

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo