TAILÂNDIA            

Elefante faminto e desorientado é visto se alimentando com comida para gatos

           
Foto: Reprodução | Daily Mail

O elefante Plai Bunchuay ficou mundialmente famoso ao quebrar a parede de uma cozinha para comer um pouco de arroz. O episódio foi noticiado com humor por veículos de comunicação de várias partes do planeta, mas esconde o drama da fome e desamparado que o desmatamento trouxe para a vida dos milhões de elefantes que vivem na Tailândia. Recentemente, Plai foi visto novamente, mas desta vez se alimentação com comida para gato na varanda de uma casa na cidade de Hua Hin.

O elefante comeu apenas o alimento para animais domésticos e voltou para a floresta. A família proprietária da casa acredita que o animal selvagem estava faminto. Ele não causou nenhum dano, apenas olhou ao redor, como quem busca uma orientação ou um lugar para ir. Plai está vagando pela região há pelo menos dois meses e moradores afirmam que ele costuma fazer “travessuras”. A Tailândia tem cerca de 2.000 elefantes asiáticos vivendo na natureza.

O maior temor é que a presença do elefante traga conflitos com seres humanos e o animal acabe ferido ou morto. Autoridades da vida selvagem da região não apresentaram nenhum plano para realocar o animal e pediu apenas que moradores evitem deixar comidas na cozinha durante à noite para não atrair Plai. Especialistas acreditam que a presença dos seres humanos em áreas que antes eram o habitat de elefantes mudaram o comportamento dos animais.

Foto: Reprodução | Daily Mail

O agente conservacionista Supanya Chengsutha acredita que Plai está sendo atraído pelo olfato: “A explicação mais provável para esta situação é que o elefante cheirou a comida e quis comê-la. Não é porque o elefante estava com muita fome, já que a comida na selva continua a mesma. Há muito e isso não mudou. Mas, às vezes, os elefantes individuais experimentam uma mudança em seu comportamento e caráter, então não há um fator para que eles façam isso”, pontua.

E completa: “Os hábitos alimentares dos elefantes também mudaram, agora que eles têm mais contato com os humanos. Eles começaram a gostar da comida que as pessoas comem. Também pode ser que os caçadores e as armadilhas na selva tenham interrompido o elefante e ele tenha se movido para fora da floresta profunda em direção aos assentamentos”, concluiu.

Comente

Comunicar erro

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo