CUIDADOS ESPECIAIS            

Cães e gatos sofrem com o frio e precisam ser aquecidos no inverno

Além de manter os animais protegidos do frio, é recomendado que os tutores estejam atentos a sintomas que podem indicar o desenvolvimento de doenças típicas do inverno            
Foto: Freepik/Ilustrativa

Ao contrário do que pensam algumas pessoas, cachorros e gatos sentem frio e precisam de cuidados especiais com a chegada do inverno. Para garantir o bem-estar dos animais, o tutor deve prover formas de manter o animal aquecido – como cobertores, roupinhas e casinhas.

As roupinhas, porém, devem ser usadas com cautela nos gatos. Isso porque esses animais são bastante sensíveis e podem se estressar com o uso das roupas, havendo casos de gatos que chegam a vomitar de estresse. Por conta disso, é recomendado que o tutor esteja atento às reações do animal após vesti-lo para que, em caso de desconforto, retire a roupinha e providencie outras formas de aquecê-lo.

Ambientes fechados são os mais apropriados para abrigar animais, especialmente com a chegada do inverno. Além disso, é importante também garantir que o animal tenha uma casinha e cobertores suficientes para mantê-lo aquecido, especialmente durante a madrugada, quando as temperaturas caem ainda mais.

Além desses cuidados, é necessário observar os animais para identificar possíveis sintomas de doenças típicas dessa época do ano, como a chamada “tosse dos canis”. “Se os tutores puderem optar por vacinar o seu bichinho, eles podem e devem receber esta proteção, já que muitas raças não possuem uma imunidade suficientemente forte para este tipo de doença”, explicou ao jornal Tribuna PR a médica veterinária do Plano My Pet, Isabela Canto.

No inverno, também é mais comum que os animais desenvolvam bronquite e apresentem sintomas como tosse, espirros e dificuldade para respirar. Casos de otite também são frequentes durante os meses frios. “Neste caso, é preciso receber acompanhamento veterinário adequado, pois a inflamação no ouvido pode evoluir para outros tipos de problemas de saúde”, explicou a veterinária.

Famílias que tutelam cães com problemas cardíacos precisam ter atenção redobrada, já que o frio aumenta as chances de desenvolvimento de edema pulmonar e pneumonia. “Fique atento aos principais sintomas, que são dificuldade para respirar, tosse, língua roxa e ruídos na respiração”, explicou Isabela.

Fungos e ácaros também podem levar a quadros de dermatite durante o inverno. Caso estejam com a doença, os animais apresentarão pequenas feridas na pele que geram incômodo e causam coceira. Além disso, a redução de exercícios físicos nesse período pode levar ao desenvolvimento de obesidade. “Se o frio gera preguiça nos tutores, este sentimento pode se estender aos bichinhos, fazendo com que eles fiquem sedentários e muito mais tempo dentro de casa do que o normal”, pontuou a veterinária.

Para prevenir quadros graves dessas doenças, é importante vacinar o animal anualmente, manter a frequência de exercícios físicos e estar atento a sintomas como dificuldade para respirar, rigidez muscular, tosse e tremores extremos. Caso o animal apresente sintomas, o correto é levá-lo ao veterinário.

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo