LITORAL DE SP            

Toninha é encontrada morta e instituto suspeita que animal seja vítima da pesca

O corpo do animal marinho, que estava em estado avançado de decomposição, será submetido à necrópsia            
Foto: Divulgação/Instituto Gremar

Uma toninha foi encontrada morta na Praia das Astúrias, em Guarujá, no litoral do estado de São Paulo. Da família dos golfinhos, o animal encalhou já sem vida na areia da praia durante a tarde do sábado (26). Marcas de interação com rede de pesca foram encontradas no corpo da toninha.

O animal marinho foi encontrado por um banhista que passava pela praia. Preocupado, o homem decidiu pedir ajuda ao Instituto Gremar, que integra o Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS). Uma equipe foi enviada ao local e constatou que o corpo estava em estado avançado de decomposição.

De acordo com os especialistas da instituição, o animal encontrado morto era adulto e do sexo masculino. Marcas que indicam que a morte pode ter sido causada pela pesca foram encontradas na parte superior e inferior das nadadeiras peitorais, além da cauda e da parte posterior do corpo.

Logo que chegaram na praia, os profissionais fizeram análises preliminares do corpo do animal e depois o encaminharam para a sede do Gremar.

Amostras serão retiradas da toninha para serem submetidas a exames necroscópico e laboratorial. O objetivo é tentar descobrir o que causou a morte do animal marinho.

O projeto que atendeu à ocorrência monitora praias entre os municípios paulistas de São Vicente e Bertioga. Para solicitar os serviços do instituto, que resgata mamíferos, tartarugas e aves marinhas, basta ligar para 0800 642 3341 ou (13) 99711 4120. A equipe atende animais feridos e debilitados, além de recolher corpos de animais mortos.

A pesca e a poluição marinha

Duas das principais causas de mortes acidentais de animais marinhos são a pesca e a poluição. Golfinhos e tartarugas costumam ficar presos em redes de pesca e morrem por afogamento.

Quando escapam das redes, muitos deles acabam consumindo resíduos sólidos que vão parar nos oceanos por conta do descarte irregular, da falta de conscientização da sociedade e da ausência de políticas públicas que norteiem a destinação correta do lixo. Ao confundirem plástico com alimento, muitos animais marinhos consomem esses produtos, adoecem e morrem.

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo