CHINA

Ativistas salvam cães que seriam mortos e consumidos no Festival de Yulin

           
Foto: Reprodução | Daily Mail

Dezenas de cães que estavam sendo transportados para o Festival de Yulin, no sul da China, foram resgatados por ativistas em defesa dos direitos animais. Um caminhão que transportava 68 animais amontoados em minúsculas gaiolas de arame foi parado quando rumava direção a cidade de Yulin.

Os ativistas disseram que vários dos animais tinham infecções, enquanto outros pareciam ser animais domésticos que foram sequestrados com a intenção de serem mortos e comidos. Uma cadela estava grávida e deu à luz dois filhotes logo depois que o caminhão foi parado e os cachorros resgatados.

Foto: Reprodução | Daily Mail

A Humane Society International disse que as equipes de resgate conseguiram persuadir o motorista do caminhão a desistir de sua carga e que todos os 70 animais estão sendo tratados em abrigos.  Liang Jia, um ativista de Guangxi, disse: “Foi tão frustrante ver caminhões com cães chegando em Yulin quando as autoridades deveriam estar parando e resgatadando os cães. Então decidimos salvar alguns cães nós mesmos e esperamos na estrada pela chegada do próximo caminhão. Quando isso aconteceu, nós sinalizamos e convencemos o motorista do caminhão a entregar os cães porque eram claramente animais domésticos sequestrados para os quais ele não tinha a papelada legalmente exigida”.

E completou : “Os cães nos ofereceram a pata como um animal doméstico em casa, e eles tinham dentes saudáveis, o que significa que alguém estava cuidando deles antes de serem sequestrados.  As autoridades de Yulin têm a responsabilidade de proteger a saúde pública, mesmo que também não se importem com os animais como nós.  Esses pobres cães parecem doentes e, felizmente, agora eles receberão cuidados veterinários, mas quem sabe que doenças eles podem carregar que acabariam no mercado de alimentos”.

Embora comer carne de cachorro seja uma tradição secular em várias partes da Ásia, o Yulin Dog Meat Festival é muito mais recente, suas origens remontam a apenas 2009. Milhares de pessoas vão aos mercados na cidade do sul da China entre maio e junho, tradicionalmente os meses mais quentes do ano no país, para comprar e comer os animais.

Foto: Reprodução | Daily Mail

Várias superstições cercam o consumo de carne de cachorro durante o tempo quente, incluindo crenças de que ela pode trazer sorte, boa saúde, curar doenças e melhorar a libido masculina.

Mas ativistas dizem que a prática é cruel com cães muitas vezes mortos de forma desumana, espancados até a morte com porretes enquanto seus companheiros de gaiola assistem. Muitos animais trazidos ao mercado também são considerados animais domésticos sequestrados, enquanto os ativistas também dizem que os vendedores não seguem os procedimentos de saúde adequados.

Foto: Reprodução | Daily Mail

A OMS alertou que comer carne de cachorro aumenta o risco de contrair doenças como raiva e cólera, se os códigos de saúde adequados não forem cumpridos.

Os ativistas vêm tentando há anos que o festival, que também vende carne de gato, lichias e destilados, seja encerrado, mas sem sucesso.

Autoridades locais bloquearam, dizendo que “oficialmente falando” o festival não existe, o que significa que eles são impotentes para agir.

No papel, eles concordaram em parar os caminhões que transportam cães para a cidade em dias de festival mas, na prática, os ativistas dizem que pouco é feito, forçando-os a intervir.

Foto: Reprodução | Daily Mail

Embora a prática de comer carne de cachorro seja popular entre algumas comunidades, a maioria das pessoas na China e em Yulin diz que nunca a comeu e não apoia a realização do festival.

O Dr. Peter Li, especialista em políticas chinesas da Humane Society International, que apoia o cuidado de cães resgatados do comércio de carne da China, disse: “Esses ativistas são típicos de uma nova geração na China que se opõe fortemente ao comércio de carne de cães e gatos e estão preparados para aceitar essa ação e para vê-lo terminado em lugares como Yulin”.  A verdade é que a maioria dos chineses, inclusive os de Yulin, não comem cachorros.

Foto: Reprodução | Daily Mail

O sofrimento desses animais em Yulin é uma tragédia, mas precisamos pedir o fim desse comércio brutal todos os dias em toda a China, não apenas alguns dias em junho em uma cidade.

A HSI aborda a questão da carne de cachorro ao longo do ano e o país defende o fim do comércio de carne de cachorro e gato para consumo.

Felizmente, esses 68 cães agora estão seguros depois do que deve ter sido uma provação terrível, mas para outros milhares de cães em Yulin e milhões em todo o país, a crueldade continua.

Foto: Reprodução | Daily Mail

Por meio do sequestro de cães, do transporte transprovincial ilegal e do assassinato desumano, o comércio não apenas sujeita os animais ao sofrimento, mas também coloca em risco a saúde pública, com potencial de disseminação da raiva e de outras doenças.

Essas são razões imperiosas para as autoridades chinesas encerrarem esse comércio de uma vez por todas.

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação

Você Viu?

ir para o topo