#STOPYULIN            

Petição contra festival chinês de carne de cachorro bate 3 milhões de assinaturas

Campanha #PareYulin está aberta há 3 anos na plataforma Change.org e chegou ao total na última semana; cidadãos de 10 países estão unidos na mobilização            
Foto: Reprodução | HSI

Todos os anos, nas últimas semanas de junho, o “Festival Yulin de Carne de Cachorro” tortura e mata cerca de 10 mil cães e gatos para o consumo de carne, na China. Ativistas pelos direitos dos animais mobilizam-se em 10 países pelo encerramento do evento, especialmente em meio à pandemia. A campanha #PareYulin, criada pela Nação Vegana Brasil e hospedada na plataforma Change.org, atingiu a marca de 3 milhões de assinaturas nesta semana.

“Vamos mostrar que milhões estão por esses animais! Queremos que o Governo da China se comprometa com os direitos animais. Respeitamos o povo e a cultura da China, mas entendemos que há muitos chineses que também são contra o Festival Yulin”, diz a ativista Kaz no texto do abaixo-assinado. A petição recebeu apoio de cidadãos em mais nove países – Estados Unidos, Espanha, México, Rússia, Alemanha, Turquia, Canadá, Chile e França.

A ANDA, que é o maior veículo de jornalismo animalista da América Latina e primeiro do mundo a atuar pela defesa dos animais, também declarou apoio à mobilização.

Para além da petição, os protestos pelo fim do evento acontecem anualmente. Em 2018, ativistas brasileiros realizaram uma manifestação em frente ao Consulado da China, em São Paulo. Na ocasião, tentaram entregar a petição às autoridades chinesas, porém, o consulado não os recebeu. Já no ano seguinte, eles realizaram um ato em frente à Embaixada da República Popular da China no Brasil, em Brasília, e o abaixo-assinado foi entregue.

Na ocasião, a representante da embaixada chinesa agradeceu aos ativistas e disse que faria a petição chegar às mãos do embaixador Yang Wanming, Na época, a mobilização acumulava 2,3 milhões de assinaturas, crescendo em mais 700 mil em um intervalo de apenas um ano. Ainda em 2019, o abaixo-assinado foi levado ao Senado Federal, sendo recebido pelo então presidente da Casa, Davi Alcolumbre, e pelo senador Marcos Rogério.

“Essa matança terrível que ocorre durante o festival tem que parar. E nós, brasileiras e brasileiros, queremos ter nossas vozes ouvidas”, destaca a ativista no manifesto. “Precisamos manter a pressão”, acrescenta. O abaixo-assinado é o quinto maior já aberto em toda a história da plataforma Change.org no Brasil. Veja na íntegra: http://change.org/PareYulin.

Pressão contra o festival

O Festival de Yulin surgiu da crença de que a carne de cachorro, quando consumida durante o verão chinês, traz boa saúde e sorte. Todos os anos, comerciantes espalham suas barracas pela cidade de Yulin e oferecem a carne dos cães e gatos aos visitantes.

O evento anual causa uma matança de milhares de cães e gatos num intervalo de apenas 10 dias em que muitos animais são sequestrados de seus donos para serem mortos. Muitos passam por envenenamento e por práticas cruéis e extremas de abate.

Em 2017, o governo chinês cogitou aplicar multas contra essa prática de comercialização, porém, acabou voltando atrás. Já no ano passado, devido à pandemia do novo coronavírus, leis sobre o comércio e o consumo de animais foram reforçadas na China. Apesar de o festival ter acontecido, a medida fez com que a matança fosse menor.

Movimento em defesa dos animais

A campanha #PareYulin foi incluída em um movimento contra os maus-tratos aos animais, lançado no ano passado pela Change.org. A página, que é apoiada pela ANDA, reúne 200 petições e engaja mais de 20 milhões de assinaturas em mobilizações pela defesa dos direitos dos animais. Confira outras campanhas do movimento: https://maustratosnao.org/.

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo