ENCALHE

Golfinho é encontrado morto com hematomas pelo corpo em praia na Paraíba

A suspeita é de que o animal tenha morrido em decorrência de um afogamento após ficar preso a uma rede de pesca            
Foto: Divulgação/Batalhão de Polícia Ambiental

Um golfinho foi encontrado morto após encalhar na manhã de quarta-feira (16) em uma praia na Paraíba. Hematomas identificados no corpo do animal marinho indicam que o golfinho pode ter morrido após ficar preso em uma rede de pesca.

Da espécie cabeça-de-melão, o animal ameaçado de extinção foi encontrado morto na praia Formosa, no município de Cabedelo. Embora não sejam nativos do litoral da Paraíba, esses golfinhos costumam passar pelo estado durante determinadas épocas do ano.

A ocorrência sobre o encalhe do animal foi registrada pelo Batalhão de Polícia Ambiental (BPamb). De acordo com o Tenente Aragão, do BPamb, o golfinho tinha aproximadamente 2 metros de comprimento.

Há anos não se registrava encalhes da espécie no litoral da Paraíba, sendo que o último registro aconteceu em 2018 na praia de Cabo Branco, em João Pessoa.

Para evitar que ocorram danos à fauna e à flora, o Batalhão de Polícia Ambiental garante realizar fiscalizações constantes no estuário do rio Paraíba e nas praias do litoral paraibano.

Características da espécie

O golfinho-cabeça-de-melão mede, em média, 2,3 metros de comprimento e pode pesar até 160 kg. Com a cabeça arredondada, esse animal não tem um rosto perfeitamente definido, possui nadadeira dorsal alta e falcada, além de peitorais compridos e pontudos. A coloração da espécie é escura.

Até o momento, não há nenhum registro de encalhe desses animais em outras localidades do Brasil além dos estados da Bahia e da Paraíba, e do arquipélago de Fernando de Noronha, em Pernambuco.

Sob ameaça de extinção, a espécie carece de políticas públicas e ações da sociedade civil que visem a preservação dos golfinhos para evitar que desapareçam por completo da natureza.

A pesca e a poluição marinha

Duas das principais causas de mortes acidentais de animais marinhos são a pesca e a poluição. Golfinhos e tartarugas costumam ficar presos em redes de pesca e morrem por afogamento.

Quando escapam das redes, muitos deles acabam consumindo resíduos sólidos que vão parar nos oceanos por conta do descarte irregular, da falta de conscientização da sociedade e da ausência de políticas públicas que norteiem a destinação correta do lixo. Ao confundirem plástico com alimento, muitos animais marinhos consomem esses produtos, adoecem e morrem.

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação

Você Viu?

ir para o topo