BANALIZAÇÃO

Cabras são amarradas e obrigadas a interagir com crianças

Foto: Reprodução | Daily Mail

Um parque rural pedagógico chamando Church Farm, localizado na Inglaterra, está aprisionando cabras e cabritos para entreter crianças. Os animais ficam amarrados com as cabeças presas em um suporte de madeira para serem acariciados pelos visitantes. As imagens dos maus-tratos foram divulgadas pelo próprio parque em suas redes sociais, mas foram deletadas após receberem uma série de críticas e acusações de crueldade contra animais.

Muitos internautas questionaram como a fazendinha pretende ensinar criança sobre o cuidado com animais colocando-os em situação de desconforto e humilhação. “Como podemos ensinar as crianças a amar e respeitar os animais quando os tratamos assim?”, disse uma usuário da rede social Facebook. A Royal Society for the Prevention of Cruelty (RSPCA) disse que claramente a situação causa incômodo, estresse e ansiedade nos animais.

Foto: Reprodução | Daily Mail

O parque foi inaugurado em 2018 em Staffordshire e anunciou a exploração das cabras e cabritos como uma atração: “Brinque com cabras pigmeus. Meia hora de diversão com nossas últimas edições! Brinque, alimente, cuide, acaricie e passeie nossas cabras pigmeus, tire sua foto e transforme-a em um chaveiro para levar para casa. Reserve on-line através do nosso website”, dizia a propaganda. Após a repercussão negativa, eles afirmam que não amarrarão mais os animais.

A Church Farm divulgou um comunicado afirmando que o bem-estar dos animais é a prioridade da empresa e que o equipamento de madeira usado para prender as cabras e os cabritos era para imobilizar temporariamente os animais para ampliar a experiência das crianças, mas que toda equipe garantia que os animais não sofressem nenhum estresse. No entanto, ativistas afirmam que se não estivem presos, eles fugiriam, porque entreter crianças não é natural.

Foto: Reprodução | Daily Mail

A RSPCA afirma que o suporte de madeira é usado frequentemente para oferecer cuidados veterinários e jamais deveria ter sido utilizado para imobilizar os animais para servirem de entretenimento. A organização se posiciona a toda a forma de exploração animal, independente dos fins. A RSPCA acrescentou ainda que há formas mais educativas, conscientes e éticas de estimular o amor das crianças pelos animais.

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação

Você Viu?

ir para o topo