MAUS-TRATOS

Tutores fazem campanha para ajudar cão espancado e esfaqueado

Após cachorro chegar em casa rastejando e ferido após sofrer agressão na rua, grupo se mobiliza e cria uma vaquinha online para custear tratamento.

Foto: Diário Corumbaense

Na noite do dia 07 de abril, um cachorro assustou sua família ao chegar em casa em estado grave, em Corumbá, no Mato Grosso do Sul. O caso foi registrado na 1ª Delegacia de Polícia Civil e já tem um suspeito. O cachorro de 10 anos de idade chamado Boby, sofreu uma lesão contusa, possivelmente causada por um pedaço de pau, e perfuração em uma das pernas, causada por objeto cortante, conforme relatou a Perícia da Polícia Civil.
Devido às lesões, Boby não consegue andar desde o dia da agressão. Sua família contou, em entrevista ao portal Diário Corumbaense, que o cão entrou em casa se arrastando no chão e gemendo de dor, e assim que o viram seu estado, chamaram um profissional para tratá-lo. “O veterinário veio em casa e avaliou o Boby, por três dias seguidos. Ele recebeu doses de injeção e agora, tudo indica que ele tenha que passar por uma cirurgia. Mesmo com os dias que passaram, ele ainda geme de dor. É revoltante, sentimento de tristeza em vê-lo assim, como alguém pode fazer isso”.
Telma da Silva Costa, moradora do bairro Aeroporto e tutora de Boby, acusa seu vizinho, de 63 anos, da agressão. “Estávamos em casa (…) Observamos que ele (Boby) vinha da direção da casa de um vizinho, única que tem em frente da nossa residência, e fomos perguntar o que havia ocorrido, quando então desconfiamos que ele tinha sido agredido por ele”, contou.
Registrado na Polícia Civil, o delegado responsável pelo caso, Willian Rodrigues, disse que o acusado já foi indiciado por maus-tratos, e que, segundo a lei de crimes ambientais, pode ter uma pena de dois a cinco anos de prisão, caso condenado.
A mulher acredita que o motivo da agressão seja o cruzamento de Boby com a cadela do vizinho. “A cadela está no cio e os outros cães aqui da localidade estavam rodeando a casa dele”, explicou, “Acredito que o Boby tenha sido agredido quando cruzou com a cadela dele e, então, ele se aproveitou do momento para bater e ainda perfurar o meu cachorro”.
Apesar disso, a família nunca teve desavenças com o vizinho. “Ele nos chamava para tomar tereré e até mesmo cerveja ou ficávamos na frente da casa dele conversando”.
A equipe que participou do atendimento do animal se comoveu com a situação e organizou uma vaquinha online para ajudar a custear o tratamento de Boby, que pode ser acessada clicando aqui . Além disso, para quem quiser realizar outro tipo de doação, como ração ou qualquer outro pertence que possa ser útil a Boby, é só ir até a Clínica Veterinária, na rua Firmo de Matos, número 956, Centro.
A princípio, é necessário arrecadar R$ 1.870,00, valor estipulado para a primeira fase de tratamento de Boby, que teve início dia 16 de Fevereiro, fora o acréscimo da taxa do site da campanha, cujo valor soma R$ 2.045,00.
Segundo Bruno Sigarani, médico veterinário que está cuidando de Boby, o cão ficará internado por, pelo o menos, 15 dias, tomando medicamentos para tratar um processo infeccioso grave e terá que passar por alguns exames, como radiografia de imagem, ultrassom e um check-up geral.

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação

Você Viu?

ir para o topo