DE OLHO NO PLANETA            

A elevação do nível do mar pode ser pior do que se temia

A equipe dinamarquesa prevê um possível aumento de 1,35 m até 2100 e destaca problemas com a modelagem anterior            
Imagem do mar
Pixabay

A elevação do nível do mar provavelmente será mais rápida e maior do que se pensava, de acordo com pesquisadores que afirmam que as previsões recentes são inconsistentes com os dados históricos.

Em sua avaliação mais recente, o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas disse que o nível do mar dificilmente aumentará além de 1,1 metro (3,6 pés) até 2100 .

Mas pesquisadores do clima do Instituto Niels Bohr da Universidade de Copenhague acreditam que os níveis podem aumentar até 1,35 metros até 2100, no pior cenário de aquecimento. Quando eles usaram dados históricos sobre a elevação do nível do mar para validar vários modelos nos quais o IPCC fez sua avaliação, eles encontraram uma discrepância de cerca de 25 cm, eles disseram em um artigo publicado na revista Ocean Science .

Os pesquisadores disseram que os modelos usados pelo IPCC não eram sensíveis o suficiente, com base no que eles descreveram como um teste de “verificação da realidade”.

“Não é uma boa notícia acreditarmos que as previsões anteriores são muito baixas”, disse o cientista da mudança climática Aslak Grinsted, coautor e professor associado do Instituto Niels Bohr.

“Os modelos usados para basear as previsões do aumento do nível do mar no momento não são sensíveis o suficiente”, disse ele. “Para ser mais claro, eles não atingem o alvo quando os comparamos com a taxa de aumento do nível do mar que vemos quando comparamos cenários futuros com observações voltando no tempo.”

No entanto, ele esperava que seu método de teste pudesse ser usado para restringir os modelos, torná-los mais confiáveis e reduzir a incerteza. Ele disse que o artigo foi enviado aos cientistas do nível do mar do IPCC.

As previsões de aumento usadas pelo IPCC são baseadas em um “quebra-cabeça” de modelos para mantos de gelo, geleiras e expansão térmica ou aquecimento do mar. Quanto mais a temperatura subir, mais alto será o nível do mar.

Mas, disse Grinsted, às vezes apenas uma quantidade limitada de dados estava disponível para os modelos serem testados. Praticamente não havia dados sobre a taxa de derretimento da Antártica antes das observações de satélite na década de 1990, disse ele. Grinsted descobriu que, embora os dados individuais, quando testados para trás no tempo, de 1850 a 2017, refletissem o aumento real do nível do mar, quando os dados foram combinados as previsões eram muito conservadoras.

“Temos melhores dados históricos para o aumento do nível do mar no total, o que, em princípio, permite um teste do quebra-cabeça combinado de modelos”, disse Grinsted.

A equipe de pesquisa do Instituto Niels Bohr espera que seu método para validar cenários futuros olhando para o passado possa ganhar uma base em como a elevação do nível do mar será analisada.

Jens Hesselbjerg Christensen, professor da seção de gelo, clima e geofísica do instituto e coautor do artigo, disse: “Esperamos que essa nova métrica de comparação seja adotada e possa se tornar uma ferramenta que possamos aplicar na comparação de modelos diferentes”.

Comente

Obrigado por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta.

Faça uma doação
               

Veja Também

ir para o topo